Ministério Internacional de Mães Unidas em Oração

Ministério Internacional de Mães Unidas em Oração
O Ministério Moms In Prayer International, anteriormente conhecido como Moms In Touch / Mães em Contato, chama-se, atualmente, Mães Unidas em Oração no Brasil. Começou em 1984, em Bristish Columbia, Canadá com Fern Nichols. Atualmente o Ministério está em quase 150 países. É um ministério de oração em favor dos nossos filhos (biológicos, adotivos e espirituais), os colegas deles, suas escolas, professores e diretores para que sejam guiados por altos valores bíblicos e morais e, assim, cobrir todas as escolas do mundo com uma rede de proteção espiritual através da oração. A base do Ministério são as escolas de nossos filhos. (Educação Infantil até a Universidade)

quarta-feira, 5 de março de 2014

DAS TREVAS PARA LUZ


“Irmã Jane Esther, este testemunho, que ora passo a escrever aconteceu em uma das escolas que leciono.

Sou professora de Ensino Religioso do Estado do Rio de Janeiro. Dou aula em duas escolas em um dos maiores Complexos de favelas, aqui no Rio de Janeiro. 

Estive numa reunião do DERE - Departamento de Ensino Religioso, realizado na OMEBE – Ordem dos Ministros Evangélicos no Brasil e no Exterior, quando ouvi a irmã falar sobre o Ministério de Mães Unidas em Oração, cuja a base são as escolas de nossos filhos.

Bem, durante alguns meses, fiquei relutando para participar, e sentia o Espírito Santo me incomodando, e, depois de 7 meses, tomei a iniciativa de enviar um e-mail para o Ministério pedindo maiores orientações de como fazer parte. Recebi todas as informações. Logo, fiz minha matrícula. Hoje tenho dois grupos de oração de Mães Unidas em Oração que se reúnem, semanalmente, em minha casa. Coloquei meus alunos das turmas onde leciono, na Rede Mundial de Oração. Durante as reuniões, alem de orar pelos meus filhos, oramos pelas minhas classes, escola, professores, diretora, funcionários. Pude ver as fotos das Mães em Unidas em Oração de Mirandópolis, SP e fiquei encantada...

Hoje sei o porquê do Ministério. Entendo o que é ser uma Mãe Unida em Oração. Entendo perfeitamente a preocupação e a missão de Fern Nichols com relação a seus filhos e os filhos de todas as demais Mães do Mundo (biológicas, adotantes ou espirituais). As mães que pertencem a este Ministério extraordinário são mulheres escolhidas por Deus, mulheres especiais, mulheres que amam seus filhos. Mulheres de Oração.

Irmã Jane Esther, sou casada e tenho três filhas que são bênçãos na minha vida e na vida de meu esposo. São filhas que todas as mães gostariam de ter. Uma, tem 17 anos, outra 15 anos e a caçula com 9 anos. São meninas crentes, estudiosas, responsáveis com o trabalho de nossa Igreja, enfim, excelentes meninas. Devido a paz que vivo em meu lar, estava sendo uma prova muito difícil conviver com aquela classe em especial. A turma era maravilhosa, os alunos eram queridos. Uma classe de 34 alunos.

Dentre eles tinha um aluno que estava testando a minha paciência. Era filho de um dos líderes do tráfico de drogas no complexo. Ele debochava da direção, dos outros professores, de mim, xingada as demais crianças, intimidada algumas meninas, enfim, com 13 anos estava se achando. Todas as aulas, no momento em que entrava em classe e me deparava com aquele adolescente, as coisas ficavam complicadas. Durante 4 aulas, fui levando, tentando passar para eles valores morais e espirituais. Pedia a Deus que me ungisse para eu não cometer nenhuma atitude que depois pudesse me arrepender...Em nenhuma aula tinha tranquilidade. Estava muito difícil.

Teve um dia que ele me disse que não estava ali para ouvir aquelas besteiras, que o que ele gostava mesmo era de estar com os colegas, fumar baseado, e ficar com as “minas” (meninas).

Bem, um dos meninos menores e mais duas meninas, começaram a brigar com ele dizendo que se ele não quisesse assistir a aula que saísse. Ele deu um tapa no rosto de uma das adolescentes. Ele disse que estava ali era para zoar mesmo e que queria ver quem iria tirá-lo da sala. Bem, naquele momento, pedi que se retirasse da sala, e ele me disse que não sairia. Disse que eu não sabia com quem eu estava me metendo.

Bem, eu pedi licença por um momento a turma e fui até a direção, chamei um professor, que também já conhecia o adolescente, o pegou pelo braço e juntos o levamos até a direção e explicamos o que tinha acontecido e o deixamos lá. 

A diretora da escola faz parte do Grupo de Oração de Mães Unidas em Oração e já sabia de tudo que estava acontecendo. Aquela escola era adotada por nós e já está na Rede Mundial de Oração!

Na semana seguinte, após o início da aula, o pai daquele menino chegou com mais dois homens, armados para nos intimidar. Ele veio até a frente e sentou em uma carteira que estava vazia, perto do filho, que não parava de debochar. Os dois homens ficaram nos fundos da classe.

Naquela momento, irmã Jane Esther, eu clamei ao Senhor Jesus que colocasse em minha boca as palavras certas. Minhas pernas ficaram duras, mas, minha boca, não. O pai daquele adolescente disse que queria saber o que eu estava ensinando para o filho dele. Durante os minutos seguintes, 45 minutos, falei sobre respeito e amor ao próximo, sobre valores morais e espirituais. Disse que Jesus os amava. Que eles tinham muitas oportunidades pela frente, que deveria lutar por elas. Conquistar um espaço na sociedade de forma digna. Terminar o colégio. Não me recordo de tudo que falei, apenas sei que Deus me usou durante todo o período de aula. A turma ficou em total silencio.

Assim que terminei o período de aula, ele se levantou e me perguntou: - É isso que a senhora ensina para o meu filho?

- Sim, disse eu. É isso que eu como professora de Ensino Religiosa passo para o meus alunos.”

No mesmo momento, aquele homem pegou o filho pelos cabelos e disse: - Se eu souber que você está criando qualquer problema com esta professora ou outra pessoa desta escola, você vai se ver comigo, entendeu? Entendeu?

O menino sacudiu a cabeça que sim! O pai continuou: “- Eu nunca tive ninguém para me ajudar e passar para mim tudo isso que a sua professora está passando para você. Por isso me tornei um traficante, mas não quero que você entre pelo mesmo caminho.

O homem me agradeceu, pediu licença e saiu com os dois acompanhantes. Aquele menino ficou com a cabeça baixa.

Durante todo o ano fui trabalhando na vida dele e pedindo ao nosso grupo que orasse por ele. Mostrava que se ele continuasse naquela vida acabaria morto, etc..

Bem, ele parou de fumar baseado e tomou noção dos verdadeiros valores que norteiam nossa vida.

Um mês antes de terminar o ano letivo, o pai dele foi morto por outro traficante. Uma tristeza....

Ele, meu aluno, foi resgatado do mundo do crime para Jesus Cristo, é aluno da EBD, aprendeu a tocar bateria para participar da equipe de louvor, participa da Equipe “Adolescentes para Cristo”, enfim, saiu "Das Trevas para Luz".

Como a irmã sempre fala: A FÉ vê o invisível. A FÉ crê no incrível. A FÉ recebe o impossível!”

Fé - Coragem - Perseverança

A Deus Toda Honra e Toda Glória!

Ana Maria C. F. 
(Mãe Unidas em Oração - Rio de Janeiro)
(Não foi permitido citar nomes das pessoas e nem da escola)

Nenhum comentário:

Postar um comentário