Ministério Internacional de Mães Unidas em Oração

Ministério Internacional de Mães Unidas em Oração
O Ministério Moms In Prayer International, anteriormente conhecido como Moms In Touch / Mães em Contato, chama-se, atualmente, Mães Unidas em Oração no Brasil. Começou em 1984, em Bristish Columbia, Canadá com Fern Nichols. Atualmente o Ministério está em mais 150 países. É um ministério de oração em favor dos nossos filhos (biológicos, adotivos e espirituais), os colegas deles, suas escolas, professores e diretores para que sejam guiados por altos valores bíblicos e morais e, assim, cobrir todas as escolas do mundo com uma rede de proteção espiritual através da oração. A base do Ministério são as escolas de nossos filhos. (Educação Infantil até a Universidade)

quarta-feira, 25 de junho de 2014

QUINTA DA BOA VISTA - ORAÇÃO DE GRATIDÃO - Pra. Lilian Salles

Dia 31 de maio de 2014, bem de manhã, antes que as mães chegassem estávamos na Quinta da Boa Vista, orando a Deus pelo Encontro de Celebração dos 20 anos de Mães Unidas em Oração no Brasil. Pra. Lilian Salles, Coordenadora de Mães Unidas em Oração foi usada por Deus para clamar pelo reunião...

Muitos foram os locais pelo Brasil, que durante todo o mês de maio agradeceram a Deus pelo Ministério que este ano celebra 30 anos no mundo.. O Ministério está em 143 países.

São mães comprometidas com a oração. Deus tem feito uma obra notável. Deus levanta as mães e, a obra cresce.... É impressionante o agir de Deus....


UMA FRAÇÃO DE SEGUNDOS E, TUDO MUDA...

"A paz do Senhor, irmã Jane Esther,
Estou enviando este testemunho em nome da Irmã Adriana Moraes nossa companheira de oração aqui em Itapira, SP.
Desde o início quando a irmã Adriana se tornou Mãe Unida em Oração todas reuniões pedia oração para seu filho Vinícius, que estava passando por uma fase de rebeldia e em consequência afastou-se da igreja. 
Nós orávamos pedindo que o senhor cuidasse do Vinícius. 
Meses atrás o Vinícius e mais alguns amigos resolveram nadar em um rio aqui da cidade, inclusive meu filho Reuel, que também estava distanciado da comunhão da igreja.
As margens do rio tinha um balanço, os meninos resolveram balançar e saltar no rio, estou mandando o Vídeo que foi gravado pelo celular de um amigo.
O primeiro a saltar foi meu filho, logo em seguida o Vinícius que ao saltar sofreu um terrível acidente, teve fratura no crânio e ficou desacordado, foi tirado da água pelo Reuel e socorrido a Santa Casa, onde ficou três dias em observação e por mais seis meses, precisará de cuidados especiais, mas devido a essa experiência voltou para a igreja, participa da JUABI (união dos jovens) e tem sido uma benção.

Isso nos mostra como o Senhor é fiel, e que nós Mães não podemos deixar de orar nunca! Um grande abraço na paz do Senhor!"

Siloé Adorno e Adriana
(Mães Unidas em Oração em Itapira, SP)

Todo Filhos Precisa de Uma Mãe Que Ora
Você já Orou Pelo Seu Filho Hoje.

FAÇA PARTE DA REDE MUNDIAL DE ORAÇÃO!
Envie, agora o seu e-mail para:
contato@maesunidasemoracao.org  
e receba todas as informações. 
Não perca tempo, seu filho precisa de você!






sábado, 21 de junho de 2014

NEM TUDO QUE RELUZ É OURO!


“Prezada irmã Jane Esther,

Antes de escrever este testemunho, fiquei pensando se realmente deveria fazê-lo, mas, uma noite, depois de ficar sem dormir, pensando em minha família e em tudo que aconteceu, Deus falou ao meu coração, e, então resolvi escrever para a irmã, abrindo o meu coração e autorizando esta publicação, sendo que não gostaria que o que está grifado em vermelho, fosse publicado. Conto com a sua compreensão.

Uma das maiores alegrias que recebi do Senhor Jesus Cristo, foi o privilégio de conhecer através da Revista Visão Missionária (recebi de presente de minha tia que pertence a igreja Batista) o PROMI - Projeto Mulheres Intercessoras e também o Ministério de Oração de Mães Unidas em Oração. Foi através do testemunho daquela mãe, cujo filho estava envolvido com drogas e que foi alcançado por Jesus, que meu coração transbordou. Na mesma semana entrei em contato com a irmã, para receber as informações necessárias, pois não conseguia mais, somente orar pelos meus filhos.... Eu queria mais... Para mim não tinha bênção maior do que colocar meus filhos no altar, junto com minhas companheiras de oração, uma vez por semana e sermos testemunhas da atuação de Deus na vida deles... Quantas bênçãos. Irmã Jane Esther... Coordeno 3 Grupos de Mães Unidas em Oração. Estou escrevendo e chorando de tanta alegria. Essa emoção não tem preço.

Somos uma família muita ativa na igreja, meus filhos (4 filhos: 2 meninos (9 e 12 anos); 2 meninas (13 e 16 anos) estão bem adaptados, ativos em suas respectivas faixas etárias. Meu marido, um servo de Deus profundamente comprometido com Deus, a família e o ministério.

Nos últimos 3 anos, por ocasião das férias das crianças e do verão, sempre recebemos o convite de uma família da nossa igreja, para passarmos um final de semana em sua casa de praia, o que com prazer aceitamos. É uma família muito querida é integrada na igreja. Nossos filhos são muito amigos e, freqüentemente, estamos juntos.

No 4º ano, como de praxe, fomos. Estávamos felizes com a possibilidade de descansarmos um pouco, visto que, o ano fora muito desgastante.

Pedi a minhas companheiras de Grupo de Mães Unidas em Oração que, durante a semana, orassem por meus filhos nessa viagem e, também, pela estadia na casa de praia. Mesmo indo todos os anos, sempre ficava preocupada com a piscina, com o mar, etc....

Minha filha mais velha relutou muito para ir, mas, no fim, acabou cedendo. Saímos na sexta-feira, sabendo que ficaríamos uma semana. Desde que chegamos, senti minha filha muito grudada conosco, arredia, fechada, mas...

Ela sempre entrava no mar com os irmãos. Quando íamos para piscina ficava perto de mim.

Sabe, irmã Jane Esther, minha filha é uma menina muito bonita. Chama muito a atenção. Temos muito amor por ela, pois além de ser muito meiga, delicada, estudiosa, centrada, é temente a Deus e comprometida com a obra do Senhor. Os dias passaram rápidos e muito gostosos.

No sábado, pela manhã, bem cedo, fui ao banheiro e a porta estava trancada. A luz estava acessa. Esperei um pouco e voltei para o quatro. Passada uma meia hora, voltei e novamente a porta estava trancada e a luz acessa. Perguntei baixinho se tinha alguém passando mal e, ouvi a voz de minha filha. Ela estava chorando... Pedi que abrisse a porta e depois de muito relutar, ela abriu.... Estava trêmula e pálida... Eu a levei para o quarto... Foi então que me deparei com uma situação extremamente revoltante. Minha filha me fez prometer que o que ela iria me falar, eu não poderia dizer para meu esposo, até voltar para casa. Eu prometi!

Foi então que ela começou a relatar algo que eu não queria saber, nem ouvir...Ela me disse que a pessoa que nos fez o convite para irmos a casa de praia, vinha cercando ela na igreja algumas vezes e jogando indiretas, mas como ela não queria causar problemas e sabia da amizade do pai com ele, preferiu ficar calada.Por isso que ela relutou em vir para passar a semana.

Mas que, na noite anterior, o homem entrou no quarto dela, onde dormia as meninas, colocou a mão em sua boca para ela não gritar  e tentou ... mas, ela deu uma joelhada, deu vários pontapés nele e saiu correndo para o banheiro onde permaneceu até de manhã. Ela disse que ele nunca tinha feito aquilo antes. Ela estava apavorada...

Naquele mesmo dia, conversei com meu esposo, sobre a possibilidade de voltarmos após o almoço. Ele não criou obstáculos e voltamos.

Naquela mesma semana conversei com meu esposo sobre o que tinha acontecido. Ele ficou tremendamente abatido e triste, por desconhecer o caráter de alguém que convivia com ele há tanto tempo.

Resolvermos ir ao Pastor para nos aconselhar e pedir orientação sobre como agir. Ele disse que não compartilhássemos isso com ninguém. Era para orarmos e entregarmos tudo nas mãos de Deus.

Durante todas as reuniões semanais de nosso Grupo de Mães Unidas em Oração, eu sempre colocava, em silêncio, minha filha no altar para que Deus resolvesse aquela situação da melhor maneira possível para que não houvesse um escândalo, pois seria terrível para todos e para o evangelho.

A família dele não sabe de nada até hoje, nem nossos filhos. Depois de vinte sete dias, Ele sofreu um acidente de carro e veio a falecer. A igreja sofreu muito, afinal é compreensível, pois não sabia de nada. Esse assunto foi enterrado com ele.

Minha filha está bem. O trauma passou. Ela continua integrada na igreja.

Prezada irmã Jane Esther, o motivo desse testemunho é para alertar nossas irmãs para que tenham cuidado com seus filhos. O inimigo pode estar dormindo dentro da nossa casa.”

Mãe Unida em Oração – Curitiba, PR
(Este testemunho foi publicado com autorização expressa da mãe. Os nomes são omitidos para preservar o sigilo dos filhos.

OLHOS DESVENDADOS. VIDA MUDADA!

Prezada irmã Jane,

Fui criada na Igreja Presbiteriana em Aracaju, SE. Participava das atividades da igreja e ajudava no que fosse necessário, mas nunca fui uma pessoa comprometida com Jesus Cristo. 

Quando conheci meu esposo, um jovem temente a Deus estava com 19 anos, logo depois nos casamos. Eu vivia para os estudos e trabalho. Fiz engenharia agronômica durante 6 anos, depois mestrado durante 2 anos e por fim, fiz o doutorado.  

Durante este tempo tivemos  dois filhos: uma filha de 15 anos e um filho de 12 anos.  Dava aulas e gostava de estar na universidade o tempo. Quando chegava em casa passava a maior parte no computador, preparando meus trabalhos e atividades docentes.  

Meu esposo, fiel companheiro, sempre me alertava a respeito do meu descaso com meus filhos e com a Igreja. Estava colocando a minha carreira em primeiro lugar. Meus filhos foram sendo criados dentro de um padrão de classe média alta. Tinham tudo que queriam. Por não ter tempo, tudo o que eles pediam eu dava.

Um dia, minha filha chegou de um encontro jovem da Igreja. Eu percebi que ela estava muito abatida, pálida. Cheguei perto dela e perguntei se ela estava sentindo alguma coisa. Ela disse que era para eu não me preocupar, que estava bem. Disse que eu nunca me preocupei com ela e que agora não seria diferente.

Sabe irmã Jane Esther, não parava para conversar com meus filhos, esta tarefa quase que era de meu esposo, e da empregada. Meu relacionamento com eles era importante, mas o trabalho consumia muito meu tempo.  Mas, naquele dia, foi diferente, meu coração apertou.  

Na hora do jantar, minha filha não desceu. Fui ao seu quarto e ela estava desmaiada. Imediatamente, meu esposo e eu fomos para o hospital. Lá foram feitos alguns exames e foi diagnosticado um coágulo em seu cérebro, devido a algum trauma que ela havia sofrido. Minha vida mudou. Numa fração se segundo, a vida de minha filha estava por um fio. Ela  entrou em coma.  Os médicos estavam fazendo de tudo para salva-la e não deixar nenhuma sequê-la. Minha vida mudou.

Em minha igreja tinha um grupo de Oração de Mães Unidas em Oração que fora implantado pelas irmãs da igreja Metodista.  Muitas vezes fui convida a participar, mas não queria nada que requeresse de mim responsabilidade. 

Olha irmã Jane, procurei a Líder do Grupo, que já sabia o que estava acontecendo com minha filha e começamos uma batalha de oração pela vida dela.  Durante o tempo que ficou hospitalizada,  busquei o Autor da Minha Fé: Jesus Cristo, Aquele  cujo qual eu não estava comprometida. Ele me sustentou, me deu paz, e depois de algumas semanas minha filha foi operada.  

Hoje ela está bem. Não teve nenhuma sequê-la.

Participo do Ministério Mães Unidas em Oração há 2 anos. Hoje eu posso dizer que eu creio no Pode da Oração! A minha Arma é a oração!

Hoje, não abro mão de Jesus Cristo, da minha família e da minha igreja. As outras coisas já foram acrescentadas!

Maria Eduarda Gomes Albuquerque - Aracaju, SE
(Usado com permissão )

EU PENSEI QUE ESTAVA TUDO SOB CONTROLE!

“Prezada irmã Jane Esther, 

Conheci o Ministério de Mães Unidas em Oração através de minha cunhada que mora em São Paulo.

Comecei um grupo em minha casa, com mais duas mães. O trabalho foi crescendo. Hoje, lidero 2 grupos. Participar e liderar o Ministério de  Mães Unidas em Oração foi e tem sido uma das maiores bênçãos recebidas do Senhor Jesus! Através dele alcancei forças para passar pelo que eu nunca poderia imaginar que viesse a passar. Minhas companheiras de oração foram incansáveis, dando-me todo o suporte necessário!

Minha família sempre foi integrada na Igreja.  Tenho 3 filhos. Um com 14, uma com 19 e outra com 22 anos, que são motivos de oração constantes. A cada semana, em nossa reunião de  Mães Unidas em Oração, seus nomes são colocados, um de cada vez, bem como suas escolas. Meus filhos são bênçãos de Deus para mim!

Tudo começou quando minha filha do meio terminou o ensino médio. Começou fazer o Curso preparatório para o Vestibular. Iria prestar exame para a Faculdade de Direito. Era muito estudiosa. Fez as provas e passou. Nós ficamos muito felizes, pois achávamos muito difícil ela conseguir. Nossa filha estava com 17 anos, iria completar 18 anos em junho. Veio a matrícula na Universidade. Logo, conheceu seus colegas, e começou a entrar num universo totalmente desconhecido. Participou do trote, uma preocupação para nós! Começou os estudos. Logo apareceram as amizades. Passou a colocar a Igreja em segundo plano: faltava o ensaio na equipe de louvor; não ia mais a Escola Bíblica, pois estava sempre muito cansada, etc.

Eu e meu esposo começamos a sentir que alguma coisa não estava indo tão bem assim como pensávamos. Nossa filha estava mudando rápido demais.  

Bem, estávamos em casa em um domingo, na parte da tarde, e ela nos disse  que sua turma iria fazer um “lual” na sexta-feira seguinte e que ela gostaria muito de participar, citando o nome de dois colegas, que também iriam. Disse que depois iria para a casa de uma das colegas. Nós dissemos que pensaríamos no assunto, pois achávamos perigoso! Ela saiu rindo de nós! 

Naquela semana coloquei o nome de minha filha no altar do meu grupo de  Mães Unidas em Oração. Expliquei a situação para as irmãs! Meu coração estava aflito. Minha alma estava angustiada.

Chegou sexta-feira e, logo cedo, ela perguntou se estava tudo certo. Nós dissemos que sim e, aconselhamos que tomasse muito cuidado. Que não deixasse o copo com resto de refrigerante e saísse de perto, e depois tomasse, que não aceitasse balas, que não ficasse longe de suas colegas, enfim, muitas recomendações. Ela riu novamente e saiu. Ficamos muito preocupados!

No sábado, ela não ligou, nem apareceu. Ligamos para sua colega, que  nos informou que saíra antes de tudo terminar, pois estava muito cansada. Disse que deixara nossa filha bem. Começamos a ligar para algumas pessoas que conhecíamos e... Nada!  Que aflição! Telefonei para minhas irmãs do Grupo de oração de  Mães Unidas em Oração e pedi que orassem. Meu esposo ligou para o pastor e contou o que ocorrera. Começamos a ficar desesperados.

Quando foi 2h da madrugada de domingo, soubemos que nossa filha estava no hospital. Fomos para lá. Ela estava no CTI, correndo risco de morte.  Segundo o médico, ela chegou ao hospital, desacordada, trazida por dois jovens que não quiseram se identificar. Minha filha tinha sofrido uma overdose. Ela misturou álcool com droga e, por isso entrou em coma.

Começamos a clamar a Deus pela vida dela. Não estávamos preparados para perdê-la. Nosso grupo de  Mães Unidas em Oração, nossa igreja e pessoas amigas, todos, pedíamos a Deus pela vida dela. Durante 14 dias, ela permaneceu no CTI. Passados estes dias cruciantes, seus sinais vitais foram melhorando, até que voltou do coma!

Durante sua recuperação, ela nos disse que no “lual”, lhe ofereceram um refrigerante e, depois, um coquetel de frutas. Ela nos disse também que deu uma saída e, que quando voltou, tomou o restante do coquetel. O que aconteceu em seguida, não soube mais.

Minha filha ficou traumatizada. Trancamos a matricula dela. Seu estado não permitia que estudasse, pois ficou muito debilitada!  Ela pediu perdão, pois não nos ouviu. Algumas semanas depois, chegou o dia de seu aniversário de 18 anos. Enfim, ela estava novamente conosco, agora, totalmente mudada! Um semestre depois ela retornou aos estudos na Faculdade e, em 2013, concluiu o Curso de Direito.

Prezada irmã Jane Esther, muitas vezes pensamos que nossos filhos, por estarem dentro da igreja, sendo criados no evangelho, estão preparados para enfrentar o mundo. Puro engano!” O MUNDO É CRUEL!


Muito obrigada pela atenção, pelo carinho, por ouvir o meu relato e por orar também por mim! Que Deus a recompense!

 Mãe Unida em Oração - Belo Horizonte, MG

 (Este testemunho foi publicado com autorização expressa da  Mãe. Os nomes são omitidos para preservar o sigilo dos filhos.)

NÃO SABEMOS A HORA EM QUE O INIMIGO VAI AGIR...

"Prezada irmã Jane Esther,

Tenho o privilégio de participar deste Ministério que tem sido uma bênção inaudita em minha vida...

Procurarei ser breve, visto que meu testemunho é muito longo.

Meus filhos foram criados na igreja. Tenho cinco  filhos: 3 meninos (10, 15 e 17 anos) e duas meninas (7 e 13 anos). Uma escadinha. Todos são  responsáveis. Consagrados na igreja,  participam das atividades normais da igreja para suas idades. Procuro passar para eles os valores espirituais e também os valores morais tão deixados de lado em nossa sociedade.

No final do ano passado, passamos por um trauma muito grande. Meu filho de 15 anos foi encontrado desmaiado, dentro do banheiro da escola onde ele estudava. Uma escola acima de qualquer problema. Todos os meus filhos estudam nela.

Recebemos um telefonema dizendo que ele tinha sido levado para o hospital. Ficamos desesperados, pois, nunca tivemos nenhum tipo de problema com eles na escola e também nenhum problema de saúde, a não ser, os normais: catapora, garganta inflamada, etc...

Bem, eu e meu esposo fomos correndo para o hospital e, quando lá chegamos formos informados que nosso filho estava no CTI e que era para aguardar o médico, pois ele viria nos atender e falar o que estava acontecendo....

Nossa aflição foi terrível.  Meus demais filhos estavam em casa, junto com minha mãe. Durante o momento que esperava, liguei para algumas Mães Unidas em Oração e pedi que orassem pelo meu filho. Disse que ainda não sabia o que estava acontecendo, mais que eu cria no poder da Oração e que tudo iria ficar bem.... Elas começaram a orar..

Ficamos aguardando 42 minutos. Meu Deus.... Que desespero!

Irmã Jane Esther, por mais que eu clamasse a Deus, sentia minhas pernas tremerem e meu coração disparar...

Quando o médico veio nos atender,  já estávamos esgotados de tanta aflição, mas confiantes de que Deus estava no CTI, com meu filho.

O médico disse que nosso filho estava com problemas respiratórios, e o coração muito acelerado, mas que estaria esperando o exame de sangue para ter um diagnóstico preciso.

Um pouco mais de tempo e veio o resultado do exame de sangue onde ficou constatado que o nosso filho tinha sofrido uma overdose. Eu disse para o médico que era impossível, pois, meu filho nunca havia usado nenhum tipo de droga....

Bem, ficamos no hospital até tarde. Dois colegas dele de outra série da escola estavam conosco e disseram que não sabiam o que tinha acontecido, pois na hora estavam em aula...

O médico nos aconselhou a irmos para casa visto que nada mais poderíamos fazer a não ser aguardar as próximas horas. Nosso filho não usava drogas. O que tinha acontecido?

No dia seguinte fomos cedo para o hospital. O quadro do meu filho não tinha nenhum sinal de melhora. Ele continuava em coma... Continuávamos clamando a Deus. Minhas irmãs Mães Unidas em Oração de minha Igreja Congregacional em São Paulo estavam orando...

Durante o coma de meu filho procuramos saber o que aconteceu e fomos informados que meu filho estava junto como alguns “colegas” tomando refrigerante e conversando na hora do intervalo... Por alguns minutos deixou o copo com o refrigerante na mesa do refeitório da escola e foi buscar um salgadinho. Ele voltou e continuou comendo o salgado e na hora que tomou o restante do refrigerante, começou a passar mal e com ânsia de vômito. Segundo os colegas ele foi para o banheiro, onde passou muito mal e vindo a desmaiar...

Bem, só saberíamos com certeza o que teria acontecido no momento em que ele acordasse...

Prezada irmã, foram seis longos dias, onde meu filho ficou no CTI. Graças a Deus ele voltou. 

Ficou muito assustado com tudo. Foi então que a narrativa acima estava confirmada. Ele disse apenas que dois dos rapazes não era do grupo dele de colegas...

Os dois foram denunciados... Eles disseram para a polícia que apenas queriam fazer uma brincadeira com o “certinho” da turma.

Com são menores de idade, foram encaminhados para uma repartição de menores....

Bem, meu filho está bem. Não teve nenhuma sequela. Apenas ficou um pouco lerdo e triste, quando teve alta do hospital.

Todos os meus filhos ficaram com muito medo e também os demais colegas da escola.

Muito obrigada Mães Unidas em Oração. Vocês são extraordinárias......

Temos a FÉ que vê o invisível. A FÉ Crê no incrível e a FÉ recebe o impossível... Deus é fiel!

Espero que este testemunho sirva de alerta para as demais mães, pois os dias são maus. Precisamos pedir a proteção para os nossos filhos, pois não sabemos a hora em que o inimigo vai agir....

Myrthes Albuquerque da Costa Franco - São Paulo, SP
(Não foram citados os nomes dos filhos a pedido da Mãe Unida em Oração)


sexta-feira, 20 de junho de 2014

APENAS UMA BALA

"Prezadas irmãs,


Sou Mãe Unida em Oração, comecei como Intercessora Individual, até que Deus me enviou mais 3 mães e já temos nosso grupo. Conheci o Ministério há pouco tempo através do Programa REENCONTRO na TV Brasil, no Momento de Mães Unidas em Oração. Enviei um e-mail, recebi todas as informações necessárias, além minha Ficha de Matrícula e também a Ficha de Cadastro de meus filhos e suas escolas. Foi maravilhoso! 

Tenho orado incessantemente pela escola de meus três filhos. Ainda estou aprendendo a colocar meus filhos no Altar do Senhor. Não tinha este compromisso. Orava, mas não com compromisso... Agora, não deixo de orar por eles...

Semana retrasada, minha filha mais nova de 11 anos, na hora do recreio foi comprar doces pela grade da escola com ambulantes que ficam na calçada. Dentre eles estava um rapaz que ofereceu balas. As demais colegas não compraram balas e, sim, outros doces. Minha filha comprou. Ela colocou a bala na boca e logo em seguida, após engolir um pouco do doce da bala, sentiu uma tonteira e caiu. A bala caiu de sua boca. As colegas chamaram a professora que, em seguida, levou minha filha para o hospital. Lá, após fazerem um exame de sangue, ficou comprovado que a bala estava com drogas. Minha filha está bem, graças a Deus, mas foi um momento muito preocupante. Escrevo estas linhas para que as Mães do Brasil fiquem atentas..."

Sandra Regina Cerqueira
(Mãe Unida em Oração – São Luis, MA)




CARTA DE UMA MÃE COM ALZHEIMER PARA SUA FILHA


"Querida filha, escute com atenção o que tenho para falar. O dia que esta doença se apoderar totalmente de mim e eu não for mais a mesma, tenha paciência e me compreenda...

Quando eu derrubar comida sobre minha roupa e esquecer como calçar meus sapatos, não perca sua paciência...

Lembre-se das horas que passei lhe ensinado essas mesmas coisas. 

Quando eu ficar andando pela casa no meio da noite, não te irrites comigo, apenas me conduza de volta a minha cama para eu dormir... 

Quantas vezes, durante noites e noites, eu conduzi em meus braços, para acalentar-te, e depois, com todo amor, colocava você no berço para dormir...

Se ao conversar com você repito as mesmas palavras e você já sabe o final da historia, não me interrompa e me escuta... 

Quando era pequena tive que contar pra você mil vezes a mesma historia para que dormisse... 

Quando fizer minhas necessidades em mim, não sinta vergonha nem fique brava, pois não posso controlar-me...

Pense em quantas vezes, quando você era pequena, te limpei e te ajudei quando você também não podia se controlar...

Não se sinta triste ao me ver assim. É possível que eu já não entenda suas palavras, mas sempre entenderei seus abraços, seus carinhos e seus beijos.

Te desejo o melhor para sua vida com todo o meu coração.
Sua mãe."
(adaptado)

PAI, COMEÇA O COMEÇO!

Quando eu era criança e pegava uma tangerina para descascar, corria para minha mãe e pedia: “- mãe, começa o começo!”


O que eu queria era que ela fizesse o primeiro rasgo na casca, o mais difícil e resistente para as minhas pequenas mãos. Depois, sorridente, ela sempre acabava descascando toda a fruta para mim. Mas, outras vezes, eu mesmo tirava o restante da casca a partir daquele primeiro rasgo providencial que ela havia feito.

Minha mãe faleceu há muito tempo, mesmo assim, sinto grande desejo de tê-la ainda ao meu lado para, pelo menos, “começar o começo” de tantas cascas duras que encontro pelo caminho. 

Hoje, minhas “tangerinas” são outras. Preciso “descascar” as dificuldades do trabalho, os obstáculos dos relacionamentos com amigos, os problemas no núcleo familiar, o esforço diário que é a construção do casamento, os retoques e pinceladas de sabedoria na imensa arte de viabilizar filhos realizados e felizes, ou então, o enfrentamento sempre tão difícil de doenças, perdas, traumas, separações, mortes, dificuldades financeiras e, até mesmo, as dúvidas e conflitos que nos afligem diante de decisões e desafios.

Em certas ocasiões, minhas tangerinas transformam-se em enormes abacaxis...

Lembro-me, então, que a segurança de ser atendido pela mamãe quando lhe pedia para “começar o começo” era o que me dava a certeza que conseguiria chegar até ao último pedacinho da casca e saborear a fruta. 

O carinho e a atenção que eu recebia de minha mãe me levaram a pedir ajuda a Deus, meu Pai do Céu, que nunca morre e sempre está ao meu lado. 

Minha mãe terrena me ensinou que Deus, o Pai do Céu, é eterno e que Seu amor é a garantia das nossas vitórias.

Quando a vida parecer muito grossa e difícil, como a casca de uma tangerina para as mãos frágeis de uma criança, lembre-se de pedir a Deus: “- Pai, começa o começo!”. Ele não só “começará o começo”, mas resolverá toda a situação para você.

Não sei que tipo de dificuldade eu e você estamos enfrentando ou encontraremos pela frente neste ano e no restante de nossas vidas, mas uma coisa eu tenho certeza: vou me garantir no Amor Eterno de Deus para pedir, sempre que for preciso: “Pai, começa o começo!”

PROTEJA SEUS FILHOS DAS DROGAS!

Ore: Derrama o teu coração como água perante o Senhor; levante a Ele as tuas mãos pela vida de teus filhos”. (Lamentações 2:19)

Demonstre amor: Pais devem dar provas de amor através de gestos, palavras e presença (física, emocional, espiritual).

Dê limites aos filhos: Mostre aos filhos que não podem ter ou fazer tudo. Ensiná-los a suportar as frustrações e uma forma de desenvolver autoestima e capacidade de fazer escolhas mais adequadas.

Incentive a independência: Dê às crianças pequenas oportunidades para desenvolverem a capacidade de tomar decisões.

Seja um bom modelo: Esforça-se para ser uma pessoa melhor diante de seus filhos. Não seja camuflado.

Exerça cidadania: Pais atentos exercitam sua cidadania para criar um mundo melhor para seus filhos. Envolva-se com ações em favor de causas nobres. Mostrando que a vida vale apena.

Tente acertar o tom, a hora e o local das conversas: Evite expressar raiva. Apenas estabeleça limites e expresse suas razões. Respeite seu filho. Ele tem sentimentos. É um ser humano!

Diálogo, exemplo e expressão de amor: Seja honesto e coerente. Busque mostrar disposição em ouvi-los e ajude-os em questões difíceis de serem enfrentadas. Lembre-se que quando estávamos na idade dele, nosso mundo era outro.

Procure fortalecer seu filho: Coopere em atividades relacionadas a seus filhos, desenvolvendo neles habilidades e atitudes para resolução de problemas e autonomia.

Esteja atento: Aos “amigos”. Aos sinais de insegurança, insatisfação com a vida, sintomas depressivos, curiosidade e busca por prazer.

Mostre que nossos atos têm consequências: Explique para seus filhos toda ação terá uma reação.




ORAÇÃO DE MÃE - Ariely Bonatti



"Ainda hoje me lembrei, eu pequeno indo pra igreja
Pelas ruas de mãos dadas com minha mãe
Obediente e tão feliz
No caminho andava eu, Jesus e minha mãe
Mas um vento então soprou
E pra longe me levou
Das verdades que eu ouvia
Da minha mãe
Me iludi, me envolvi
Minha mãe eu fiz chorar
Eu também sofri
Andei distante
Me perdi dos sonhos que minha mãe sonhou pra mim
E pra você que me ouve agora
É que eu conto essa história
Minha mãe não desistiu de mim
O verdadeiro amor
Está nas lágrimas de uma mãe orando a Deus
Pelo filho que está em casa
Pelo que se perdeu
Tem poder a oração de uma mãe que ama
Entre a vida e a morte eu estava
No caminho sem saída
Longe de casa
Mas, mãe, você venceu
Mãe, orando você me ganhou pra Deus."

quinta-feira, 19 de junho de 2014

MÃE, NÃO SE ESQUEÇA DE ORAR PELO SEU FILHO HOJE


PESSOAS COMUNS PARA FINS EXTRAORDINÁRIOS!

Leia este testemunho de chamado de uma mãe para iniciar um Grupo de Mães Unidas em Oração

"Eu estava confiante em meu chamado para iniciar um grupo de Mães Unidas em Oração pela escola da minha filha. Estava apavorada sobre como receber em casa o meu primeiro grupo de oração. Eu nunca tinha servido nessa função antes. Eu tinha ensinado na Escola Dominical e me desligado por muitos anos, mas ser uma líder de oração para um grupo de mulheres? Nunca!

Apenas uma outra mãe participara da primeira reunião e eu avisei antes que começasse que eu estava nervosa para orar naquele formato. Especificamente, a parte sobre louvar a Deus era um conceito novo para mim.

Ao ler sobre Gideão no livro de Juízes, falei sobre o seu relacionamento com Deus e seu questionamento para salvar Israel, quando ele pergunta: "Mas, Senhor, como posso salvar Israel? Minha família é a mais pobre em Manassés, e eu o menor na minha família. " (Capítulo 6, versículo 15)
No início com as minhas mães no grupo de oração, eu definitivamente me sentia insuficiente, desarticulada e estava preocupada em meu cérebro congelar.

Mas como Deus mostra repetidamente em toda a Bíblia, o Senhor usa pessoas comuns para fins extraordinários. Se você está ouvindo o chamado de Deus para liderar um grupo de mães em oração, peço-lhe para atender esse chamado.

Desde que comecei com as primeiras Mães em reunião de oração, eu pessoalmente tenho crescido em minha vida de oração, cresci no meu relacionamento com Deus. Sempre senti a obrigação de frequentar a igreja e acreditar em Deus, mas por aprender a louvá-Lo, eu vim a conhecê-lo em um nível mais pessoal. Eu realmente tornei-me consciente do amor de Deus. Ao aprender a louvar a Deus com tantos atributos diferentes, eu vim a conhecê-lo em um nível mais íntimo e eu estou em êxtase!"


Lori Bittenbender 
(Líder de Grupo de Mães Unidas em Oração no Texas - EUA)

Lori Bittenbender cresceu no sul da Califórnia e agora vive perto de Dallas, Texas com seu marido há 14 anos, e seus filhos, Kate, Lauren e Ryan. Ela trabalha em casa como freelancer publicitária/ relações públicas. Quando sua filha mais velha estava indo para o jardim de infância, sentia-se chamada para iniciar um Grupo de Mães Unidas em Oração pela escola primária local. No primeiro ano, o grupo consistia apenas de Lori e uma outra mãe. Agora, o grupo cresceu para 5-7 mulheres que se reúnem a cada semana.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

COORDENADORA NACIONAL FALA SOBRE O MINISTÉRIO NA IGREJA EVANGÉLICA FÉ PARA TODOS

No mês de maio nossa Coordenadora Nacional irmã Jane Esther passou um domingo a noite muito especial na Igreja Evangélica Fé para Todos, presidida pelo Pastor Walmir Ferreira Cohen, no Rio de Janeiro. 


Seu esposo Pr. Joaquim de Paula Rosa, falou sobre a OMEBE, o Programa REENCONTRO na TV Brasil, todos os sábados, às 8h e trouxe a mensagem para todos os presentes, mas antes da mensagem nossa Coordenadora teve oportunidade de falar sobre o Ministério, dos 20 anos no Brasil e 30 anos no mundo. 
Agradecemos o carinho da irmã Gláucia, Pr. Sérgio e sua esposa Eunice, Pr. Robério e sua esposa Raquel e Pr. Elias e sua esposa Luzia. 

Foi maravilhoso ver o agir de Deus....









MÃES DA TAQUARA AGRADECEM A DEUS PELOS 20 ANOS DO MINISTÉRIO NO BRASIL

Culto de gratidão a Deus, no dia 8 de junho, na Igreja Batista do Rio Grande, Taquara, Rio de Janeiro agradecendo a Deus pelos 20 anos do Ministério Mães Unidas em Oração no Brasil. Foi uma bênção.


Agradecemos a Deus a vida da nossa Coordenadora Sueli Francinete e todas as demais Líderes de Grupos e mães que estiveram presentes.


 











terça-feira, 17 de junho de 2014

BASTIDORES DO LEVANTA E CLAMA - DIA 31 DE MAIO - QUINTA DA BOA VISTA

Sabemos que muitos grupos de Mães Unidas em Oração fizeram suas celebrações e orações pelo no Brasil. 

Foi muito gostoso os momentos que antecederam a Celebração Levanta e Clama, no dia 31 de maio, 10h, na Quinta da Boa Vista, Rio de Janeiro em comemoração aos 20 anos de Mães Unidas em Oração no Brasil! Foram muitos os testemunhos....Tivemos 15 dias com muitas chuva... Na véspera o sol abriu e tivemos um sábado lindo. No domingo voltou a chover....

As irmãs começaram a chegar bem cedo. Algumas,  já estavam desde 7:30h. Marilene Vieira chegou cedo e trouxe, de surpresa, um bolo para todas que estavam desde cedo nas 8h. Foi muiiito bom... 

No entanto na hora de partir o bolo não tinha guardanapo. Marilene aproveitou o momento e pediu a uma mulher dona de uma barraquinha que estava chegando também, se ela poderia ceder alguns guardanapos.Ela viu muitas mulheres e perguntou o que era. Marilene falou do Ministério de Mães Unidas em Oração, que e também do Ministério Infantil que ela realiza nas igrejas há 30 anos, mesmo tempo de Moms In Prayer (Mães Unidas em Oração) no mundo. Marilene falou sobre Jesus Cristo. Deu um DVD para a mulher e ela deu os guardanapos com todo o prazer.

Mães Unidas em Oração, são vidas no altar. Vidas santificadas. Vidas que creem no Poder da Oração. Vidas que têm "a fé que vê o invisível, que crê no incrível e, que recebe o impossível!"

Envie-nos um e-mail e receba todas as orientações. contato@maesunidasemoracao.org ou
maesunidasemoracao@gmail.com