Ministério Internacional de Mães Unidas em Oração

Ministério Internacional de Mães Unidas em Oração
O Ministério Moms In Prayer International, anteriormente conhecido como Moms In Touch / Mães em Contato, chama-se, atualmente, Mães Unidas em Oração no Brasil. Começou em 1984, em Bristish Columbia, Canadá com Fern Nichols. Atualmente o Ministério está em quase 150 países. É um ministério de oração em favor dos nossos filhos (biológicos, adotivos e espirituais), os colegas deles, suas escolas, professores e diretores para que sejam guiados por altos valores bíblicos e morais e, assim, cobrir todas as escolas do mundo com uma rede de proteção espiritual através da oração. A base do Ministério são as escolas de nossos filhos. (Educação Infantil até a Universidade)

sexta-feira, 30 de junho de 2017

UM MINISTÉRIO DE ALCANCE MUNDIAL

Fern Nichols e Jane Esther de Paula Rosa / Foto: Rosângela de Luna Ormerod
"Não tínhamos a menor ideia de que aquele pequeno grupo de mães, liberando o poder de Deus através da oração, daria origem a um Ministério de oração de alcance mundial." (Fern Nichols)

Segue algumas informações sobre Moms In Prayer International / Mães Unidas em Oração....

O Ministério "Moms In Prayer International", no Brasil "Mães Unidas em Oração" é um dos mistérios Insoldáveis de Deus, por alguns motivos:

1. O Ministério Moms In Prayer International / Mães Unidas em Oração, no Brasil, foi criado por Fern Nichols, em 1984, no Canadá!

2. Não é um movimento, projeto ou reunião de mulheres.

3. Não faz parte de nenhuma instituição ou denominação.

4. É evangélico, inter e supra denominacional.

5. Não pode estar vinculado a nenhum grupo político de qualquer natureza.

6. É um Ministério Internacional de Oração! Uma missão! Um sacerdócio! Um compromisso com Deus da mãe de orar pelo seu filho biológico, adotante ou espiritual). Se o filho não estiver mais estudando, continua sendo filho, pois "Mãe cristã comprometida com Deus só deixa de orar pelo filho quando ela morre."(Jane Esther de Paula Rosa)

7. É Deus quem toca no coração da mãe para participar. Toda mãe preenche sua Ficha de matrícula e compromisso colocando o nome de cada Filho e suas respectivas Escolas. Ela está assumindo perante Deus o compromisso de Orar por pelos filhos cujos nomes ela colocou em sua Ficha. Por isso que nem toda mãe faz parte do Ministério. Os nomes vão para a Rede Mundial de Oração.

8. Estamos em 146 países. Em outubro de 2014 foi comemorado os 30 anos com uma grande Celebração no Hotel Sheraton,em Dallas, Texas, onde líderes de 143 países estiveram presentes. Foi a maior celebração de Mães Unidas em Oração em favor dos filhos e Escolas de toda historia.

9. No Brasil, o Ministério está completando 23 anos este ano de 2017.

10. É um Ministério onde a mãe assume perante Deus o compromisso de orar pelos filhos e Escolas. A base do Ministério é a Escola. E lá na Escola que tudo acontece (Educação Infantil até a Universidade). A base de uma nação é a educação!

11. A mãe começa como Mãe Intercessora Individual, até encontrar suas companheiras de oração (a líder e mais 2 a 3 mães por grupo formando seu PGO - Pequeno Grupo de Oração). Se reúnem uma vez por semana no local que escolherem para orar em pequenos grupos, utilizando os Quatro Passos Para Oração e, todos os dias oram individualmente de 3 a 7 minutos.

12. O Livro: Todo Filho Precisa de Uma Mãe Que Ora, escrito por Fern Nichols, fundadora de Moms In Touch, atualmente Moms In Prayer / Mães Unidas em Oração no Brasil, é um best seller. No momento, encontra-se disponível em vários sites, com preços variados. Comprar a reimpressão de 2015 com logomarca do Ministério Mães Unidas em Oração.

13. O Livreto: Mães Unidas em Oração, com as orientações para realização das reuniões em Grupos, seguindo, biblicamente, Os Quatro Passos Para Oração está traduzido em 55 idiomas, inclusive para o Braille.
Este livreto é para todas as mães que já estão cadastradas no Ministério. Em breve sairá uma nova edição revista e atualizada.

14. Queremos compartilhar com todas as Mães Unidas em Oração, o mais recente Livro de Fertn Nichols, "Orações poderosas para mães". No momento, encontra-se disponível em vários sites, com preços variados.

Somente Deus para fazer isso! Glórias ao nome d'Ele!
Priorize seu momento "A Sós Com Deus" e, assim que for possível, comece o seu PGO - Pequeno Grupo de Oração. Você e outra mãe que sinta o mesmo toque o Espírito Santo para orar pelo filho. Você verá o impossível de Deus acontecer!


Mães Unidas em Oração, filhos protegidos.
Todo filho precisa de uma mãe que ora.
Você já orou pelo seu filho hoje?

Site Internacional: momsinprayer.org
www.maesunidasemoracao.org
contato@maesunidasemoracao.org 


(Editora do Blog: Cláudia Regina Farias e
Colaboradora: Rossana de Almeida Ferreira Pires) 


IMPORTANTE: Para fazer parte do Ministério e receber todas as informações, é só fazer sua inscrição online em nosso link: http://maesunidasemoracao.org/inscricaonline.html
Não deixe nenhum espaço em branco. Caso não tenha como preencher coloque ”xxxx”.

CALENDÁRIO NACIONAL DE ORAÇÃO - BRASIL - MÊS DE JULHO DE 2017

É maravilhoso fazer parte de Moms In Prayer International / Mães Unidas em Oração no Brasil e conhecer o extraordinário Programa de Oração Mundial em PGOs - Pequenos Grupos de Oração, que Deus deu a uma mãe: Fern Nichols, em 1984, no Canadá, e que já está em quase 150 países... Um Ministério que durante anos tem sido referência na vida de milhões de mães ao redor do mundo!

Louvamos a Deus por mais um mês de oração pela vida de nossos filhos e escolas...

Agradecemos a vocês Mães Unidas em Oração que enviam seus pedidos e, através deles podemos elaborar o Calendário Nacional de Oração que tem norteado cada mãe no sem momento no seu A Sós com Deus!


No Momento "A SÓS COM DEUS", a Mãe Unida em Oração escolhe a hora mais apropriada, diariamente, e ora de 3 a 7 minutos por um dos filhos (biológico, adotivo ou espiritual), pela escola e pelo pedido do dia que está no Calendário Nacional de Oração, enviado para todas as Mães que pertencem ao Ministério, em PDF. O Calendário não substitui o encontro semanal dos Grupos de Mães Unidas em Oração.

Se a irmã pertence ao Ministério Internacional e não recebeu o seu Calendário Nacional de Oração é só nos enviar um e-mail: contato@maesunidasemoracao.org

Mãe Unida em Oração é apenas instrumento nas mãos de Deus. Quem é digno de toda honra e de toda Glória é o Senhor Jesus Cristo! É Ele quem guerreia "com" e "através" de nós! (Efésios 6: 10-20).

Somos apenas servas!

Se ainda não faz parte...

O primeiro passo para fazer parte do Ministério Moms In Prayer International / Mães Unidas em Oração no Brasil é sentir o toque do Espírito Santo para participar.

Em seguida, faça sua inscrição como Mãe Intercessora Individual (mãe biológica, adotante ou espiritual) colocando seu(s) filho(s) e a escola adotada em oração na Rede Mundial de Oração.

É só fazer a inscrição para receber todas as informações necessárias através do link:
http://maesunidasemoracao.org/inscricaonline.html

Assim que encontrar outra mãe que também tenha sido tocada pelo Espírito Santo comece seu PGO - Pequeno Grupo de Oração...

Lembre-se que Mães Unidas em Oração é um Ministério de mãe com mãe..

Mães Unidas em Oração, filhos protegidos.

Todo filho precisa de uma mãe que ora.

Você já orou pelo seu filho hoje?



contato@maesunidasemoracao.org

(Editora do Blog: Cláudia Regina Farias e Rossana de Almeida Ferreira Pires)

IMPORTANTE: Para fazer parte do Ministério e receber todas as informações, é só fazer sua inscrição online em nosso link: http://maesunidasemoracao.org/inscricaonline.html Não deixe nenhum espaço em branco. Caso não tenha como preencher um espaço, coloque "xxxx"

quarta-feira, 28 de junho de 2017

O QUE É BULLYING E CYBERBULLYING


Devido ao fato de ser um fenômeno que só recentemente ganhou mais atenção, o assédio escolar ainda não possui um termo específico consensual, sendo o termo em inglês bullying constantemente utilizado pela mídia de língua portuguesa.


1. Terminologia

Bullying (bully- «tiranete» ou «valentão»). Existem, entretanto, alternativas como acossamento, ameaça, assédio, intimidação, além dos mais informais judiar e implicar, além de diversos outros termos utilizado pelos próprios estudantes em diversas regiões.


                  



É um termo frequentemente usado para descrever uma forma de assédio interpretado por alguém que está, de alguma forma, em condições de exercer o seu poder sobre alguém ou sobre um grupo mais fraco. São atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz(es) de se defender. Também existem as vítimas/agressoras, ou autores/alvos, que em determinados momentos cometem agressões, porém também são vítimas de assédio escolar pela turma.

2. Caracterização do assédio escolar

O cientista sueco - que trabalhou por muito tempo em Bergen (Noruega) - Dan Olweus define assédio escolar em três termos essenciais:

  •  o comportamento é agressivo e negativo;
  •  o comportamento é executado repetidamente;
  •  o comportamento ocorre num relacionamento onde há um desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.



O assédio escolar divide-se em duas categorias:

  • assédio escolar direto;

  •  assédio escolar indireto, também conhecido como agressão social



O bullying direto é a forma mais comum entre os agressores (bullies) masculinos. A agressão social ou bullying indireto é a forma mais comum em bullies do sexo feminino e crianças pequenas, e é caracterizada por forçar a vítima ao isolamento social. Este isolamento é obtido por meio de uma vasta variedade de técnicas, que incluem:


  •  espalhar comentários;
  •  recusa em se socializar com a vítima;
  •  intimidar outras pessoas que desejam se socializar com a vítima;
 ridicularizar o modo de vestir ou outros aspectos socialmente significativos (incluindo a etnia da vítima, religião, incapacidades etc).

O assédio escolar pode ocorrer em situações envolvendo a escola ou faculdade/universidade, o local de trabalho, os vizinhos e até mesmo países. Qualquer que seja a situação, a estrutura de poder é tipicamente evidente entre o agressor (bully) e a vítima. Para aqueles fora do relacionamento, parece que o poder do agressor depende somente da percepção da vítima, que parece estar a mais intimidada para oferecer alguma resistência. Todavia, a vítima geralmente tem motivos para temer o agressor, devido às ameaças ou concretizações de violência física/sexual, ou perda dos meios de subsistência.

3. Características dos bullies

Pesquisas indicam que adolescentes agressores têm personalidades autoritárias, combinadas com uma forte necessidade de controlar ou dominar. Também tem sido sugerido que uma deficiência em habilidades sociais e um ponto de vista preconceituoso sobre subordinados podem ser particulares fatores de risco. Estudos adicionais têm mostrado que enquanto inveja e ressentimento podem ser motivos para a prática do assédio escolar, ao contrário da crença popular, há pouca evidência que sugira que os bullies sofram de qualquer déficit de auto-estima. Outros pesquisadores também identificaram a rapidez em se enraivecer e usar a força, em acréscimo a comportamentos agressivos, o ato de encarar as ações de outros como hostis, a preocupação com a auto-imagem e o empenho em ações obsessivas ou rígidas. É frequentemente sugerido que os comportamentos agressivos têm sua origem na infância:

"Se o comportamento agressivo não é desafiado na infância, há o risco de que ele se torne habitual. Realmente, há evidência documental que indica que a prática do assédio escolar durante a infância põe a criança em risco de comportamento criminoso e violência doméstica na idade adulta".

O assédio escolar não envolve necessariamente criminalidade ou violência. Por exemplo, o assédio escolar frequentemente funciona por meio de abuso psicológico ou verbal. Os bullies sempre existiram, mas, eram (e ainda são) chamados em português de rufias, esfola-caras, brigões, acossadores, cabriões, valentões e verdugos.

Os valentões costumam ser hostis, intolerantes e usar a força para resolver seus problemas.

4. Tipos de assédio escolar

Os bullies usam principalmente uma combinação de intimidação e humilhação para atormentar os outros. Abaixo, alguns exemplos das técnicas de assédio escolar:

  •  insultar a vítima;
  •  acusar sistematicamente a vítima de não servir para nada;
  •  ataques físicos repetidos contra uma pessoa, seja contra o corpo dela ou propriedade.
  •  interferir com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas, etc, danificando-os.
  •  espalhar rumores negativos sobre a vítima;
  •  depreciar a vítima sem qualquer motivo;
  •  fazer com que a vítima faça o que ela não quer, ameaçando-a para seguir as ordens;
  •  colocar a vítima em situação problemática com alguém (geralmente, uma autoridade), ou conseguir uma ação disciplinar contra a vítima, por algo que ela não cometeu ou que foi exagerado pelo bully;
  •  fazer comentários depreciativos sobre a família de uma pessoa (particularmente a mãe), sobre o local de moradia de alguém, aparência pessoal, orientação sexual, religião, etnia, nível de renda, nacionalidade ou qualquer outra inferioridade depreendida da qual o bully tenha tomado ciência;
  •  isolamento social da vítima;
  •  usar as tecnologias de informação para praticar o cyberbullying (criar páginas falsas, comunidades ou perfis sobre a vítima em sites de relacionamento com publicação de fotos etc);
  •  chantagem.
  •  expressões ameaçadoras;
  •  grafitagem depreciativa;
  •  usar de sarcasmo evidente para se passar por amigo (para alguém de fora) enquanto assegura o controle e a posição em relação à vítima (isto ocorre com frequência logo após o bully avaliar que a pessoa é uma "vítima perfeita").

Fazer que a vítima passe vergonha na frente de várias pessoas.

4.1. Bullying professor-aluno

O assédio escolar pode ser praticado de um professor para um aluno. As técnicas mais comuns são:

  •  intimidar o aluno em voz alta rebaixando-o perante a classe e ofendendo sua auto-estima. Uma forma mais cruel e severa é manipular a classe contra um único aluno o expondo a humilhação;
  •  assumir um critério mais rigoroso na correção de provas com o aluno e não com os demais. Alguns professores podem perseguir alunos com notas baixas;
  •  ameaçar o aluno de reprovação;
  •  negar ao aluno o direito de ir ao banheiro ou beber água, expondo-o a tortura psicológica;
  •  difamar o aluno no conselho de professores, aos coordenadores e acusá-lo de atos que não cometeu;
  •  tortura física, mais comuns em crianças pequenas. Puxões de orelha, tapas e cascudos.
  •  tais atos violam o Estatuto da Criança e do Adolescente e podem ser denunciados em um Boletim de Ocorrência numa delegacia ou no Ministério Público. A revisão de provas pode ser requerida ao pedagogo ou coordenador e em caso de recusa, por medida judicial.

5. Locais de assédio escolar

                       


O assédio escolar pode acontecer em qualquer contexto no qual seres humanos interajam, tais como escolas, universidades, famílias, entre vizinhos e em locais de trabalho.


5.1. Escolas

Em escolas, o assédio escolar geralmente ocorre em áreas com supervisão adulta mínima ou inexistente. Ele pode acontecer em praticamente qualquer parte, dentro ou fora do prédio da escola.

Alguns sinais são comuns como a recusa da criança de ir à escola ao alegar sintomas como dor de barriga ou apresentar irritação, nervosismo ou tristeza anormais.

Em caso extremo de assédio escolar no pátio da escola foi o de um aluno do oitavo ano chamado Curtis Taylor, numa escola secundária em Iowa, Estados Unidos, que foi vítima de assédio escolar contínuo por três anos, o que incluía alcunhas jocosas, ser espancado num vestiário, ter a camisa suja com leite achocolatado e os pertences vandalizados. Tudo isso acabou por o levar ao suicídio em 21 de Março de 1993. Alguns especialistas em "bullies" denominaram essa reação extrema de "bullycídio". Os que sofrem o bullying acabam desenvolvendo problemas psíquicos muitas vezes irreversíveis, que podem até levar a atitudes extremas como a que ocorreu com Jeremy Wade Delle. Jeremy se matou em 8 de janeiro de 1991, aos 15 anos de idade, numa escola na cidade de Dallas, Texas, EUA, dentro da sala de aula e em frente de 30 colegas e da professora de inglês, como forma de protesto pelos atos de perseguição que sofria constantemente. Esta história inspirou uma música (Jeremy) interpretada por Eddie Vedder, vocalista da banda estadunidense Pearl Jam.

Na última década de 90, os Estados Unidos viveram uma epidemia de tiroteios em escolas (dos quais o mais notório foi o massacre de Columbine). Muitas das crianças por trás destes tiroteios afirmavam serem vítimas de bullies e que somente haviam recorrido à violência depois que a administração da escola havia falhado repetidamente em intervir. Em muitos destes casos, as vítimas dos atiradores processaram tanto as famílias dos atiradores quanto as escolas. Como resultado destas tendências, escolas em muitos países passaram a desencorajar fortemente a prática do assédio escolar, com programas projetados para promover a cooperação entre os estudantes, bem como o treinamento de alunos como moderadores para intervir na resolução de disputas, configurando uma forma de suporte por parte dos pares.

O assédio escolar nas escolas (ou em outras instituições superiores de ensino) pode também assumir, por exemplo, a forma de avaliações abaixo da média, não retorno das tarefas escolares, segregação de estudantes competentes por professores incompetentes ou não-atuantes, para proteger a reputação de uma instituição de ensino. Isto é feito para que seus programas e códigos internos de conduta nunca sejam questionados, e que os pais (que geralmente pagam as taxas) sejam levados a acreditar que seus filhos são incapazes de lidar com o curso. Tipicamente, estas atitudes servem para criar a política não-escrita de "se você é estúpido, não merece ter respostas; se você não é bom, nós não te queremos aqui". Frequentemente, tais instituições (geralmente em países asiáticos) operam um programa de franquia com instituições estrangeiras (quase sempre ocidentais), com uma cláusula de que os parceiros estrangeiros não opinam quanto a avaliação local ou códigos de conduta do pessoal no local contratante. Isto serve para criar uma classe de tolos educados, pessoas com títulos acadêmicos que não aprenderam a adaptar-se a situações e a criar soluções fazendo as perguntas certas e resolvendo problemas.

5.2. Local de trabalho

O assédio escolar em locais de trabalho (algumas vezes chamado de Assédio escolar Adulto) é descrito pelo Congresso Sindical do Reino Unido como:

"Um problema sério que muito frequentemente as pessoas pensam que seja apenas um problema ocasional entre indivíduos. Mas o assédio escolar é mais do que um ataque ocasional de raiva ou briga. É uma intimidação regular e persistente que solapa a integridade e confiança da vítima do bully. E é frequentemente aceita ou mesmo encorajada como parte da cultura da organização".


5.3. Vizinhança


Entre vizinhos o assédio escolar normalmente toma a forma de intimidação por comportamento inconveniente, tais como barulho excessivo para perturbar o sono e os padrões de vida normais ou fazer queixa às autoridades (tais como a polícia) por incidentes menores ou forjados. O propósito desta forma de comportamento é fazer com que a vítima fique tão desconfortável que acabe por se mudar da propriedade. Nem todo comportamento inconveniente pode ser caracterizado como assédio escolar: a falta de sensibilidade pode ser uma explicação.

5.4. Política

O assédio escolar entre países ocorre quando um país decide impôr sua vontade a outro. Isto é feito normalmente com o uso de força militar, a ameaça de que ajuda e doações não serão entregues a um país menor ou não permitir que o país menor se associe a uma organização de comércio.

5.5. Militar

Em 2000, o Ministério da Defesa (MOD) do Reino Unido definiu o assédio escolar como : "…o uso de força física ou abuso de autoridade para intimidar ou vitimizar outros, ou para infligir castigos ilícitos".

Todavia, é afirmado que o assédio escolar militar ainda está protegido contra investigações abertas. O caso das Deepcut Barracks, no Reino Unido, é um exemplo do governo se recusar a conduzir um inquérito público completo quanto a uma possível prática de assédio escolar militar. Alguns argumentam que tal comportamento deveria ser permitido por causa de um consenso acadêmico generalizado de que os soldados são diferentes dos outros postos. Dos soldados se espera que estejam preparados para arriscarem suas vidas, e alguns acreditam que o seu treinamento deveria desenvolver o espirito de corpo para aceitar isto.

Em alguns países, rituais humilhantes entre os recrutas têm sido tolerados e mesmo exaltados como um "rito de passagem" que constrói o caráter e a resistência; enquanto em outros, o assédio escolar sistemático dos postos inferiores, jovens ou recrutas mais fracos pode na verdade ser encorajado pela política militar, seja tacitamente ou abertamente. Também, as forças armadas russas geralmente fazem com que candidatos mais velhos ou mais experientes abusem - com socos e pontapés - dos soldados mais fracos e menos experientes...

5.6. Alcunhas ou apelidos (dar nomes)

Normalmente, uma alcunha (apelido) é dada a alguém por um amigo, devido a uma característica única dele. Em alguns casos, a concessão é feita por uma característica que a vítima não quer que seja chamada, tal como uma orelha grande ou forma obscura em alguma parte do corpo. Em casos extremos, professores podem ajudar a popularizá-la, mas isto é geralmente percebido como inofensivo ou o golpe é sutil demais para ser reconhecido. Há uma discussão sobre se é pior que a vítima conheça ou não o nome pelo qual é chamada. Todavia, uma alcunha pode por vezes tornar-se tão embaraçosa que a vítima terá de se mudar (de escola, de residência ou de ambos).

5. Legislação

No Brasil, a gravidade do ato pode levar os jovens infratores à aplicação de medidas sócio-educativas. de acordo pelo código penal brasileiro, a negligência com um crime pode ser tida como uma coautoria. Na área cívil, e os pais dos bullies podem, pois, ser obrigados a pagar indenizações e podem haver processos por danos morais.

A legislação jurídica do estado brasileiro de São Paulo define assédio escolar como atitudes de violência física ou psicológica, que ocorrem sem motivação evidente praticadas contra pessoas com o objetivo de intimidá-las ou agredi-las, causando dor e angústia.

Os atos de assédio escolar configuram atos ilícitos, não porque não estão autorizados pelo nosso ordenamento jurídico, mas por desrespeitarem princípios constitucionais (ex: dignidade da pessoa humana) e o Código Civil, que determina que todo ato ilícito que cause dano a outrem gera o dever de indenizar. A responsabilidade pela prática de atos de assédio escolar pode se enquadrar também no Código de Defesa do Consumidor, tendo em vista que as escolas prestam serviço aos consumidores e são responsáveis por atos de assédio escolar que ocorram nesse contexto.

No estado brasileiro do Rio de Janeiro, uma lei estadual sancionada em 23 de setembro de 2010 institui a obrigatoriedade de escolas públicas e particulares notificarem casos de bullying à polícia. Em caso de descumprimento, a multa pode ser de três a 20 salários mínimos (até R$ 10.200) para as instituições de ensino.

Na cidade brasileira de Curitiba todas as escolas têm de registrar os casos de bullying em um livro de ocorrências, detalhando a agressão, o nome dos envolvidos e as providências adotadas.

6.1. Condenações legais

Dado que a cobertura da mídia tem exposto o quão disseminada é a prática do assédio escolar, os júris estão agora mais inclinados do que nunca a se simpatizarem com as vítimas. Em anos recentes, muitas vítimas têm movido ações judiciais diretamente contra os agressores por "imposição intencional de sofrimento emocional" e incluindo suas escolas como acusadas, sob o princípio da responsabilidade conjunta. Vítimas norte-americanas e suas famílias têm outros recursos legais, tais como processar uma escola ou professor por falta de supervisão adequada, violação dos direitos civis, discriminação racial ou de gênero ou assédio moral.

1. No Brasil

Uma pesquisa do IBGE realizada em 2009 revelou que quase um terço (30,8%) dos estudantes brasileiros informou já ter sofrido bullying, sendo maioria das vítimas do sexo masculino. A maior proporção de ocorrências foi registrada em escolas privadas (35,9%), ao passo que nas públicas os casos atingiram 29,5% dos estudantes.

No Brasil, uma pesquisa realizada em 2010 com 5.168 alunos de 25 escolas públicas e particulares revelou que as humilhações típicas do bullying são comuns em alunos da 5ª e 6ª séries. Entre todos os entrevistados, pelo menos 17% estão envolvidos com o problema - seja intimidando alguém, sendo intimidados ou os dois. A forma mais comum é a cibernética, a partir do envio de e-mails ofensivos e difamação em sites de relacionamento como o Orkut.

Em 2009, uma pesquisa do IBGE apontou as cidades de Brasília e Belo Horizonte como as capitais brasileiras com maiores índices de assédio escolar, com 35,6% e 35,3%, respectivamente, de alunos que declararam esse tipo de violência nos últimos 30 dias.

2. Casos célebres

Na Grande São Paulo, uma menina apanhou até desmaiar por colegas que a perseguiam e em Porto Alegre um jovem foi morto com arma de fogo durante um longo processo de assédio escolar.

Em maio de 2010, a Justiça obrigou os pais de um aluno do Colégio Santa Doroteia, no bairro Sion de Belo Horizonte a pagar uma indenização de R$ 8 mil a uma garota de 15 anos por conta de assédio escolar. A estudante foi classificada como G.E. (sigla para integrantes de grupo de excluídos) por ser supostamente feia e as insinuações se tornaram frequentes com o passar do tempo, e entre elas, ficaram as alcunhas de tábua, prostituta, sem peito... Os pais da menina alegaram que procuraram a escola, mas não conseguiram resolver a questão. O juiz relatou que as atitudes do adolescente acusado pareciam não ter "limite" e que ele "prosseguiu em suas atitudes inconvenientes de 'intimidar'", o que deixou a vítima, segundo a psicóloga que depôs no caso, "triste, estressada e emocionalmente debilitada". O colégio de classe média alta não foi responsabilizado.

Em junho de 2010, um aluno de nona série do Colégio Neusa Rocha, no Bairro São Luiz, na região da Pampulha de Belo Horizonte foi espancado na saída de seu colégio, com a ajuda de mais seis estudantes armados com soco inglês. A vítima ficou sabendo que o grupo iria atacar outro colega por ele ser "folgado e atrevido", sendo inclusive convidada a participar da agressão.

Em entrevista ao Estado de Minas, disse: Eles me chamaram para brigar com o menino. Não aceitei e fui a contar a ele o que os outros estavam querendo fazer, como forma de alertá-lo. Quando a dupla soube que contei, um deles colocou o dedo na minha cara e me ameaçou dentro de sala, durante aula de ciências. Ele ainda ligou, escondido, pelo celular, para outro colega, que estuda pela manhã, e o chamou para ir à tarde na escola.

Durante 2010, Bárbara Evans, filha de Monique Evans e estudante da Universidade Anhembi Morumbi (onde cursava o primeiro ano de Nutrição), em São Paulo, entrou na Justiça com um processo de assédio escolar realizado por seus colegas. No dia 12/06/2010, um sábado à noite, o muro externo do estacionamento do campus Centro da referida Universidade foi pichado com ofensas a ela e a sua mãe.

Em recente caso julgado no Rio Grande do Sul (Proc. nº 70031750094 da 6ª Câmara Cível do TJRS), a mãe do bullie foi condenada civilmente a pagar indenização no valor de R$ 5 mil (cinco mil reais) à vítima. Foi um legítimo caso de cyberbullying, já que o dano foi causado por meio da Internet, em fotolog (flog) hospedado pelo Portal Terra. No caso, o Portal não foi responsabilizado, pois retirou as informações do ar em uma semana. Não ficou claro, entretanto, se foi uma semana após ser avisado informalmente ou após ser judicialmente notificado.

Alguns casos de assédio escolar entre crianças têm anuência dos próprios pais, como um envolvendo um garoto de 9 anos de Petrópolis. A mãe resolveu tirar satisfação com a criança que constantemente agredia seu filho na escola e na rua, mas o pai do outro garoto, em resposta, procurou a mãe do outro garoto chamado de "boiola" e "magrelo". Ela foi empurrada em uma galeria, atingida no rosto, jogada no chão e ainda teve uma costela fraturada. O caso registrado em um vídeo foi veiculado na internet e ganhou os principais jornais e telejornais brasileiros.

Em 2011, a 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro condenou uma escola privada a pagar indenização a uma vitima de bullying.

Em 07 de abril de 2011, ocorreu o Massacre de Realengo, no qual 12 crianças da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, no Rio de Janeiro, foram assassinados e outras 12 crianças foram feridas a tiros. O assassino, Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, ex-aluno da escola, cometeu suicídio após os crimes. O massacre foi atribuído a uma vingança por bullying.

O QUE É CYBERBULLYING

Cyberbullying é uma prática que envolve o uso de tecnologias de informação e comunicação para dar apoio a comportamentos deliberados, repetidos e hostis praticados por um indivíduo ou grupo com a intenção de prejudicar outrem. Como tem se tornado mais comum na sociedade, especialmente entre os jovens, legislações e campanhas de sensibilização têm surgido para combatê-lo.

1. Definição

O cyberbullying tem sido definido como "quando a Internet, telefones celulares ou outros dispositivos são utilizados para enviar textos ou imagens com a intenção de ferir ou constranger outra pessoa". Outros pesquisadores utilizam uma linguagem semelhante para descrever o fenômeno.

O cyberbullying pode ser tão simples como continuar a enviar e-mail para alguém que já disse que não querem mais contato com o remetente, ou então pode incluir também ameaças, comentários sexuais, rótulos pejorativos, discurso de ódio, tornar as vítimas alvo de ridicularização em fóruns ou postar declarações falsas com o objetivo de humilhar.

Os cyberbullies podem divulgar os dados pessoais das vítimas (como nome, endereço ou o local de trabalho ou de estudo, por exemplo) em sites ou fóruns, ou publicar material em seu nome que o difame ou ridicularize-o. Alguns cyberbullies também podem enviar e-mails e mensagens instantâneas ameçando e assediando as vítimas, postar rumores e boatos e instigar os outros para cima da vítima.

No Ensino Médio, as meninas são mais propensas a se envolver em cyberbullying do que os meninos. Mas independente do gênero do bully, seu objetivo é intencionalmente envergonhar, perseguir ou fazer ameaças on-line para os outros. Esse assédio moral pode ocorrer por meio de e-mail, mensagens de texto e mensagens para blogs e sites (como os de relacionamento).

O cyberbullying, via Web, pode ser considerado tão prejudicial quanto o bullying tradicional, podendo, inclusive, levar, em casos extremos, ao suicídio.

Embora o uso de comentários sexuais estejam, às vezes, presentes no cyberbullying, esse não é o mesmo que assédio sexual.

A massificação da Internet, especialmente pelo uso entre as novas gerações, contribui para o aumento do cybullying, pois, no mundo virtual, os bullies não precisam dar as caras. A prática de cyberbullying, porém, não se limita apenas às crianças, podendo ocorrer também entre adultos.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bullying
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cyberbullying

Mães Unidas em Oração, filhos protegidos.
Todo filho precisa de uma mãe que ora.
Você já orou pelo seu filho hoje?

Site Internacional: momsinprayer.org
www.maesunidasemoracao.org
contato@maesunidasemoracao.org

(Editoras do Blog: Cláudia Regina Farias

Colaboradora:  Rossana de Almeida Ferreira Pires)



IMPORTANTE: Para fazer parte do Ministério e receber todas as informações, é só fazer sua inscrição online em nosso link: http://maesunidasemoracao.org/inscricaonline.html

Não deixe nenhum espaço em branco. Caso não tenha como preencher coloque ”xxxx”.

SEIS ORAÇÕES VITAIS PELOS FILHOS


Atualmente tudo o que temos que fazer para ficar preocupadas ou com medo por nossos filhos é acordar todas as manhãs! Existe medo e dúvida em torno de nós e de como vivemos.


Qualquer uma pode olhar para a condição da sociedade ou no comportamento de seus filhos e ter medo. Mas Deus nos chama para ser sal e luz na terra (Mateus 5:13-14). Nós não temos o espírito de temor (2 Tm. 1:7). 

Então, como podemos manter nossos filhos protegidos todos os dias quando as coisas não parecem tão boas? Ao dizer o que Deus diz; ao falar a Sua Palavra com fé sobre eles. Se formos por aquilo que vemos, é fácil ter medo. Mas a fé crê em algo que não pode se ver!

Em Romanos 4:17, a Bíblia diz que Deus chama as coisas que não são como se já fossem. Eu acredito que você e eu podemos fazer isso também, há poder em nossas palavras!

Aqui estão seis orações vitais que vão ajudar o agir de Deus na vida de seus filhos:

1) Deus tem um plano perfeito para o meu filho (Jr. 29:11; Rm 11:29)

“Pai, obrigado pelo maravilhoso plano divinamente ordenado que o Senhor têm para a vida do meu filho. Eu proclamo que eles andarão nele hoje. Declaro que eles vão cumprir o plano de Deus e eles terão um futuro brilhante!"

2) O Espírito Santo ajuda os meus filhos (1 João 4:4; 14:16 )

“Quanto mais o Senhor estiver presente na vida dos meus filhos hoje, mais irá ajuda-los, orienta-los, incentiva-los, protege-los e capacita-los. O Senhor é maior do que qualquer plano ou a força do inimigo e faz com que os meus filhos possam superar todas as situações da vida". 

3) Eu me recuso a ter medo (2 Timóteo 1:7, Marcos 5:36) 

“Pai, eu me recuso a ter medo de meus filhos caírem nas garras do inimigo, eu vou cercá-los com fé e com o amor de Deus, eu profetizo que serão bem sucedidos, felizes, protegidos e saudáveis. Sempre que eu pensar em meus filhos e em seu futuro, eu terei uma mente sã. Imaginarei todos rodeados com poder, benção e proteção de Deus".

4) A nossa família anda no amor (1 Coríntios 13:4-8; Ef 5:1-2)

“Meu relacionamento com meus filhos é abençoado; andamos em amor uns com os outros e desfrutamos da união uns com os outros como Deus planejou. O amor é livre para reinar em nossa casa. Nós não permitimos contenda ou divisão, mas declaramos que a nossa casa está repleta de paz e harmonia. Dá-nos sabedoria, Pai, para abençoar e ajudar uns aos outros".

5) A paz reina no coração e na mente dos meus filhos (Is. 54:4;. Colossenses 3:15)

“Meus filhos são ensinados no Senhor, para que eles tenham a paz de Deus sobre eles em todos os sentidos da palavra integridade. Que o Senhor passe a os orientar no caminho reto para nunca sairem do Seu propósito. Meus filhos trarão paz em nossa família e não discórdia e contendas".

6) Meus filhos são diligentes (Pv. 10:4; 2 Pedro 3:14)

“Meus filhos não são preguiçosos, mas trabalhadores que perseveram, mesmo quando a situação é difícil, eles são constantes, sérios e enérgicos. Devido a isso, eles não vão ser pobres de espirito e de corpo, mas ricos, de acordo com a Palavra de Deus".

Como Maes Unidas em Oração, não temos que ter medo, podemos ter fé! Nós podemos viver acima das provações deste mundo, quando nós mantermos os nossos olhos no Senhor. Ao fazer estas orações para os seus filhos, fique à espera de ver os resultados sobrenaturais que virão sobre eles!

(Karen Jensen)



Mães Unidas em Oração, filhos protegidos.

Todo filho precisa de uma mãe que ora.

Você já orou pelo seu filho hoje?


Site Internacional: momsinprayer.org
contato@maesunidasemoracao.org 

(Editora do Blog: Cláudia Regina Farias
Colaboradora: Rossana de Almeida Ferreira Pires) 

IMPORTANTE: Para fazer parte do Ministério e receber todas as informações, é só fazer sua inscrição online em nosso link: http://maesunidasemoracao.org/inscricaonline.html
Não deixe nenhum espaço em branco. Caso não tenha como preencher coloque ”xxxx”.

OS QUATRO PASSOS PARA ORAÇÃO - FOLHA DE ORAÇÃO

FOLHA DE ORAÇÃO

Roteiro para uma Reunião de Grupo de Mães Unidas em Oração

Data: _____ /_____/_______ Local: _____________________


Instrução:
Líder: Selecione um atributo, nome ou caráter de Deus como um tema central para a hora de oração. Use definições. Dê versículos que ampliem a descrição e definição. A líder pode designar diferentes mães para lerem os versículos.

1. ADORAÇÃO - LOUVOR
(2 minutos)
Louvando a Deus por quem Ele é. Pelos Seus atributos, Seu nome, Seu caráter.
“Pois Tu És Santo, e habitas nos louvores do Seu povo.” (Salmo 22:3)

Por favor, não mencione nem respostas, nem pedidos de oração durante este tempo.

Oração: Enfatiza no tópico já descrito pela oração de comum acordo (oração espontânea direcionada pelo Espírito Santo). Por exemplo: "Querido Pai Celestial, nós suas filhas viemos perante de ti num só acordo, proclamando que tu és. Lembre-se que,a oração não é de ação da graças. Fique concentrada no atributo, nome ou caráter de Deus.

1. Atributo, nome ou caráter de Deus escolhido: _____________________________________________________________________________
2. Definição do atributo, nome ou caráter de Deus:

_____________________________________________________________________________
3. Passagem Bíblica
:
_____________________________________________________________________________
4. Oração:


2. CONFISSÃO
(2 minutos)
Tempo de oração pessoal, silenciosa para confissão e arrependimento.
“Se confessarmos os nossos pecados, Ele e’ fiel e justo, para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” (1 João 1.9)´

Instrução: Continue em oração

Líder (Passagem Bíblica): "Pai, na Sua Palavra tu nos dizes que sabes todas as coisas, e que não há nada escondido de ti. Tu nos dizes que "se nosso coração não nos condena, nós temos confiança perante (Ti); e qualquer coisa. que pedimos recebemos de (Ti)". I João 3:21b-22. Por isso, Pai, esquadrinha nossos corações e diga-nos se há algo que esteja desagradando a ti".

Confissão (Oração Silenciosa): Nomeie pecado ou pecados especialmente qualquer coisa errada com Deus ou homem. Agradece a Deus por perdão do pecado. Peça para ser controlada pelo Espírito Santo.

1. Passagem Bíblica: _____________________________________________________________________________
2. Confissão: _____________________________________________________________________________
3. Oração:


3. AÇÃO DE GRAÇAS
(5-8 minutos)
Agradecer a Deus pelo que Ele fez.
“Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” (1Ts 5.18)
Por favor, nenhum pedido de oração durante este tempo.

Instrução: Continue em oração.

Líder: "Pai, nós te agradecemos não só pelo perdão dos nossos pecados, mas por muitas coisas maravilhosas que tens feito". Só agradecimentos, nenhum pedido! Ore mencionando as respostas s orações anteriores enquanto outras acompanham em comum acordo.

Oração: Agradeça a Deus por uma resposta especifica à oração. "Dai graças ao Senhor; invocai o seu home; fazei conhecidos os seus feitos entre os povos." Salmos 105;1.

4. INTERCESSÃO
(30-40 minutos)
Ir a Deus em oração em favor dos outros.

“Clama a mim e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes.” (Jr 3.33)

Instrução:
Líder: Dê um versículo bíblico para cada mãe orar por um dos filhos. Use o mesmo versículo. Também dê um versículo para orar pelos professores, pelos assuntos relevantes da escola e funcionários.

Dividir em grupos: Caso a reunião seja feita na igreja com várias mães, a Coordenadora poderá iniciar falando sobre um atributo, caráter ou nome de Deus, porém, no momento dos Quatro Passos Para Oração (Adoração, Confissão e Ação de Graças, da Intercessão), cada grupo deverá se separar com sua Líder.

Importante: os pedidos urgentes de oração pelos assuntos da escola adotada, professores, diretores, funcionários devem ser dados á líder, preferencialmente antes da reunião. Orar na reunião e durante a semana.

1. Intercessão pelos Nossos Filhos (10-15 minutos)
Importante: ore biblicamente. Ore por um filho de cada vez usando o mesmo versículo. A Mãe poderá orar por um filho por várias semanas até sentir o coração em paz a respeito daquele filho. Escreva cada pedido na folha de oração. Lembre-se de continuar orando durante toda a semana por filho de outra mãe e pelo seu próprio.

1. Versículo Bíblico: _____________________________________________________________________________
2. Pedido baseado nas Escrituras: (colocar o nome do filho no versículo): ___________________________
3. Pedido Específico: Filho ( ); Filho (mãe 2); Filho (mãe 3); Filho (mãe 4).
4. Momento de Oração:
5. Data da Intercessão: ____ / ____/ _____
6. Data da Resposta: ____ / ____/ _____


2. Intercedendo pelos Pródigos (5 minutos)
1. Versículo Bíblico: ____________________________________________________________________________
2. Pedido baseado nas Escrituras: (colocar o nome do filho no versículo): ___________________________
3. Pedido Específico: Filho (mãe 1); Filho (mãe 2); Filho (mãe 3); Filho (mãe 4).
4. Momento de Oração:
5. Data da Intercessão: ____ / ____/ _____
6. Data da Resposta: ____ / ____/ _____


3. Intercessão pela Escola (5 minutos)
1. Versículo Bíblico: _____________________________________________________________________________
2. Nome da Escola: _____________________________________________________________________________
3. Pedido /Assuntos da Escola: _____________________________________________________________________________
4. Momento de Oração:
5. Data da Intercessão: ____ / ____/ _____
6. Data da Resposta: ____ / ____/ _____

4. Intercessão pelos Professores (5 minutos)
Importante: cada mãe poderá orar por um professor da escola adotada, durante a semana. Se o tempo permitir ore pelos professores que estão sendo, evangelizados pessoalmente durante o ano inteiro com presentes e mensagens específicas.
1. Versículo Bíblico: “________________________________________________________________________
2. Pedido baseado nas Escrituras: (colocar o nome do Professor(a) no versículo): ______________________
3.Nome do(a) Professor(a): ______________________________________________________________
4. Pedido especifico do Professor(a): _________________________________________________________
5. Momento de Oração:
6. Data da Intercessão: ____ / ____/ _____
7. Data da Resposta: ____ / ____/ _____


5. Intercessão pelos Diretores (5 minutos)
1. Versículo Bíblico: _________________________________________________________________
2. Pedido baseado nas Escrituras: (colocar o nome do Diretor(a) no versículo): ________________________
3.Nome do(a) Diretor(a): ________________________________________________________________
4. Pedido especifico do Diretor(a): ___________________________________________________________
5. Momento de Oração:
6. Data da Intercessão: ____ / ____/ _____
7. Data da Resposta: ____ / ____/ _____


6. Intercessão pelos Funcionários (5 minutos)
1. Versículo Bíblico: “Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa; dele vem a minha salvação.” (Sl 62.1)
2. Pedido baseado nas Escrituras: (colocar o nome do Funcionário(a) no versículo): Abra os olhos de __________________________ para que se converta das trevas à luz .
3. Nome do(a) Funcionário(a): ________________________________________________________________
4. Pedido especifico do Funcionário(a): ________________________________________________________
5. Oração:
6. Data da Intercessão: ____ / ____/ _____
7. Data da Resposta: ____ / ____/ _____


7. Intercessão pelas Mães Unidas em Oração (10 minutos)
Líder: Orem agora e durante a semana pelas preocupações listadas nos Quatro Passos Para Oração e pelos adicionais que estão abaixo:
Pela integridade, confiança, e união do grupo.
Pelas Líderes e Coordenadoras do Brasil.
Pela Liderança Nacional. (Salmos 25:213) e (Colossenses 1:9b)
Pelo ministério voluntário das Mães Unidas em Oração local, estadual e nacional.
Pelas necessidades financeiras do ministério.

7. Intercessão pelo Ministério Internacional (10 minutos)
Líder: Orem agora e durante a semana pelas preocupações listadas nos Quatro Passos Para Oração e pelos adicionais que estão abaixo:
Pela integridade, confiança, e união do grupo.
Pelas Líderes e Coordenadoras do mundo.
Pela Liderança Mundial. (Salmos 25:213) e (Colossenses 1:9b)

IMPORTANTE:
Folha de Oração: Faça uma copia para cada MÃE de seu grupo.
Material necessário: Bíblia, o Livreto: Mães Unidas em Oração, caderno, lápis ou caneta.
Nota: Caso a reunião seja feita na igreja com várias mães, a Coordenadora poderá iniciar falando sobre um atributo, caráter ou nome de Deus, porém, no momento dos Quatro Passos da Oração (Adoração, Confissão, Ação de Graças e Intercessão, cada grupo deverá se separar com sua Líder de grupo.
_______________________________

A B C DE UMA REUNIÃO

A - Hora: Sempre começar e terminar na hora certa.
B - Ser comprometida: Fazer desta hora uma prioridade semanal.
C - Confidencial: O que oramos no grupo, permanece no grupo.




(Todos os direitos são reservados de acordo com os direitos autorais internacionais. É proibida toda a reprodução ou publicação deste material sem aviso prévio da autora, exceto pequenas anotações bibliográficas, ou críticas literárias.
Copyright (c) 1987. Fern Nichols. All rights reserved. Moms in Prayer International)


Mães Unidas em Oração, filhos protegidos.
Todo filho precisa de uma mãe que ora.
Você já orou pelo seu filho hoje?

Site Internacional: momsinprayer.org
contato@maesunidasemoracao.org 

(Editora do Blog: Cláudia Regina Farias) 

IMPORTANTE: Para fazer parte do Ministério e receber todas as informações, é só fazer sua inscrição online em nosso link: http://maesunidasemoracao.org/inscricaonline.html
Não deixe nenhum espaço em branco. Caso não tenha como preencher coloque ”xxxx”.

O PODER DA ORAÇÃO

A oração intercessória é o banho purificador no qual o indivíduo e a comunidade devem entrar todos os dias”(D. Bonhoeffer)

“A oração é o banho íntimo de amor no qual a alma mergulha” (João Vianney)

A falta de oração revela uma crise de afetividade! Através do modelo de oração que Cristo nos deixou, em Mateus 6.9, assumimos as seguintes posições:

ORAÇÃO POSIÇÃO
Pai nosso                                      Filho

Santificado seja o teu nome         Adorador


Venha Teu Reino                          Súdito

Seja feita a tua vontade               Servo

O pão nosso de cada dia dá-nos    Dependente

Perdoa-nos                                  Pecador

Não nos deixe cair                       Fraco

Para orar é necessário que tenhamos amor em nosso coração:

“É o coração que ora, é a voz do coração que Deus ouve, e é ao coração que ele responde” (Jean Nicholas Grou)

“Ora bem quem ama bem” (Samuel Coleridge)

O que acontece quando oramos:

É gerada em nós gratidão à Deus (1 Cr 29.14) Descobrimos os tesouros de Deus (Cl 2.1-3) Bênçãos são liberadas (Jo 15.7)

“...porquanto o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Rm 5.5)

Amor: ágape – está focado mais na natureza daquele que ama do que no mérito daquele que é amado. Ame mais a Deus e as pessoas por meio também de suas orações!


Mães Unidas em Oração, filhos protegidos.
Todo filho precisa de uma mãe que ora
Você já orou pelo seu filho hoje?

www.momsinprrayer.org
contato@maesunidasemoracao.org

(Editora do Blog: Cláudia Regina Farias) 

IMPORTANTE: Para fazer parte do Ministério e receber todas as informações, é só fazer sua inscrição online em nosso link: http://maesunidasemoracao.org/inscricaonline.html Não deixe nenhum espaço em branco. Caso não tenha como preencher coloque ”xxxx”.

MEU FILHO PRECISA DE MIM?



Helena corria para chegar a tempo no trabalho, torcendo para que o engarrafamento não fosse muito demorado, que o ônibus não estivesse tão lotado e que o trem não estivesse parado. Na sua mente tentava organizar o dia, espremendo os muitos compromissos entre a lista de pedidos da família: passar no banco, pagar a conta de telefone, comprar o remédio do Pedro, levar os salgadinhos na festa da professora da Renata, levar aquela calça de seu marido para ajustar a bainha, marcar aquela consulta médica já por tanto tempo adiada.



Depois de um dia de trabalho intenso chega em casa e as tarefas continuam. Enquanto tenta adiantar o jantar confere os deveres de casa dos filhos ouvindo o relatório interminável da filha explicando como os meninos são terríveis e por isso ela não conseguiu prestar atenção na aula! Coloca a roupa para lavar sonhando com um banho quente, demorado e relaxante! Arruma a cozinha, põe o frango para descongelar e antes de dormir faz a última pergunta: filho, você precisa de mim? Então, boa noite, Deus te abençoe!

Na manhã seguinte acordou com a resposta numa folha de caderno em cima da mesa: “ - Mamãe, você me perguntou se precisava de você?”

Minha resposta é: “- Preciso sempre de você...
Preciso de seu amor, de sua presença, de seu carinho e de seu calor;
Preciso de sua palavra, de seu conselho, de sua visão abrangente e de sua aprovação;
Preciso de seu sorriso, de sua alegria, de seu ânimo e de seu entusiasmo;
Preciso do seu jeito de me fazer sentir importante;
Preciso de seu abraço, de seus beijinhos apertados e de seu aconchego.
Preciso de você de tantas maneiras e jeitos que a vida nem faz sentido sem você.
Sim mamãe, preciso de você a cada momento!
Teu filho...”

Somos mães modernas, descoladas, despachadas, superdinâmicas, atarefadas, trabalhadoras, batalhadoras, super-protetoras, preocupadas e ansiosas. Sim, conquistamos nosso espaço na sociedade e a mídia nos lembra a todo o momento que temos direito de nos realizarmos.

Merecemos isto, com certeza, mas o mundo esquece-se de mencionar que nossa realização também passa por vermos nossos filhos realizados, seguros e felizes. Raramente refletimos a respeito do que realmente nossos filhos precisam. Às vezes as respostas são bem simples, mas mesmo em sua simplicidade podem nos emocionar. Recordo-me do desabafo entre lágrimas de uma profissional muito bem sucedida que tentava ser a melhor mãe do mundo, mas esquecia das coisas essenciais, que não têm preço.

Nossos filhos não precisam de mais brinquedos nem do celular de última geração, mas precisam se sentir seguros e terem a certeza que serão aceitos mesmo se não forem os mais famosos da escola. Eles não precisam tanto de roupas novas e adereços caros, mas necessitam da certeza de que são lindos por dentro e por fora, são únicos e com uma personalidade especial. Não precisam tanto de elogios em publico, mas de conversas francas e particulares, sem acusações, inquisições ou desconfianças. Precisam saber que alguém está do lado deles, incondicionalmente. Precisam ouvir suas orações citando os seus nomes, sabendo que está sempre intercedendo por eles.

Enfim, não precisam que você seja importante, rica ou famosa, mas gostariam que, às vezes, você fosse apenas mãe!



Mães Unidas em Oração, filhos protegidos.
Todo filho precisa de uma mãe que ora.
Você já orou pelo seu filho hoje?


Site Internacional: momsinprayer.org
contato@maesunidasemoracao.org 

(Editora do Blog: Cláudia Regina Farias) 

IMPORTANTE: Para fazer parte do Ministério e receber todas as informações, é só fazer sua inscrição online em nosso link: http://maesunidasemoracao.org/inscricaonline.html
Não deixe nenhum espaço em branco. Caso não tenha como preencher coloque ”xxxx”.

terça-feira, 27 de junho de 2017

ENTREVISTA ESPECIAL COM JANE ESTHER, COORDENADORA DO MINISTÉRIO MOMS IN PRAYER INTERNATIONAL / MÃES UNIDAS EM ORAÇÃO NO BRASIL

Coordenando o Ministério Moms In Prayer International / Mães Unidas em Oração no Brasil, há 8 anos, Jane Esther Monteiro de Souza de Paula Rosa nos dá um panorama da expansão do trabalho que atualmente está em quase 150 países e no Brasil está em todos os 26 Estados e no Distrito Federal.

1. Fale um pouco a respeito de Mães Unidas em Oração?
Fern Nichols

Em 1984, em Bristish Columbia, Canadá, Fern Nichols, com os filhos entrando na adolescência, sentiu a necessidade de orar por eles. Pediu a Deus que lhe enviasse uma companheira de oração que tivesse a mesma preocupação em relação aos filhos. Deus lhe deu Linda Driedeger e na semana seguinte, aconteceu a primeira reunião de oração. Assim surgiu Moms In Touch Internacional, hoje Moms In Prayer International / Mães Unidas em Oração, um Ministério que tem influenciado mulheres do mundo todo.


Élica Braga Almeida



No Brasil, o Ministério, chegou em 1994, na cidade de Sorocaba e Rio de Janeiro através de Elica Braga Almeida que traduziu nosso Livreto, junto com o Pr. Ebenezer Carlos dos Santos, que na época pastoreava a Igreja 
Batista Memorial na Tijuca, Rio de Janeiro, RJ; Pr. Isidoro Lessa de Paula, que era Ministro de Música Sacra da Primeira Igreja Batista de Niterói, RJ, casado com a americana Barbara Jones de Paula.


Heloiza Helena Ribeiro de Amorim Pimentel
Os grupos foram surgindo e, tempos depois, em 2003 a Prof.a Heloiza Helena Ribeiro de Amorim Pimentel foi visitar sua filha Laura Ogi que mora na Suíça. Lá conheceu o Ministério Mães Unidas em Oração ficando impressionada. Foi contagiante! Ela trouxe o ministério de Oração para o Rio de Janeiro, RJ pois seu esposo Pr. Belardim de Amorim Pimentel era o Secretário Executivo da Convenção Batista Carioca e ela liderava a União Feminina Missionária da mesma Convenção. 

Começou com um grupo, e os grupos foram sendo formados, assumindo a coordenação do Ministério no Rio de Janeiro, RJ. 

Em 2009, a Prof.a Heloiza Helena, por motivos de saúde na família transferiu a liderança para Prof.a Jane Esther Monteiro de Souza de Paula Rosa.

2. Por que você decidiu se dedicar a um ministério que trabalha especificamente com mulheres que são mães e cristãs? Qual é a sua história dentro do ministério?


Quero deixar aqui registrada que toda a minha trajetória de vida tem a influência de meus pais: Pr. Ismael Gomes de Souza e minha mãe Diaconisa Dulce Monteiro de Souza. Ambos servos de Deus que dedicaram suas vidas ao Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, lutando, sofrendo e alcançando vitórias inenarráveis.

Voltando um pouco ao passado: Quando eu estava na adolescência, meu pai, Pr. Ismael Gomes de Souza
 sofreu um atentado no púlpito da Igreja Batista em Barão de Aquino, localidade da minha infância e adolescência entre as cidades de Nova Friburgo e Sumidouro, interior do Estado do Rio de Janeiro.. Foram momentos terríveis. Em um dos momentos, daquele dia fatídico quando meu pai saiu cambaleando de dentro da igreja e caiu na entrada da casa que ficava nos fundos da igreja (casa que ficávamos nos finais de semana), aguardando por socorro... Vi minha mãe, indo, rapidamente para o quarto. Fui atrás dela e, ouvi ela balbuciar: “Meus Deus, me dê forças neste momento de tanta dor, desespero. Me oriente. Me sustente. Me ajude a enfrentar tudo o que vem pela frente”. Ela só disse isso e voltou para perto de meu pai... Bem, isto é uma longa narrativa.

Foi a atitude de minha mãe que me tocou profundamente. Vi nela total amor, dedicação, submissão, confiança e entrega a Jesus Cristo, em uma das épocas mais difíceis para nossa família! Nunca me esqueci daquele momento. Vi a ação de Deus em nossas vidas...

(Um parêntese: O homem que atirou em meu pai, estava drogado. Não sabe porque atirou nele. Foi condenado e, depois de 8 anos morreu na cadeia com câncer generalizado. Papai sofreu o atentado aos 50 anos de idade e, apesar de tantas lutas, viveu mais 37 anos e faleceu no dia 24 de janeiro de 2013, aos 87 anos.)

Não sabia que mais tarde Deus iria usar aquele momento para eu entender o amor d’Ele e do que Ele é capaz de fazer quando uma mãe ora!

Voltando a pergunta: Quando morei no EUA, na igreja que frequentava, em Avon Park,Flórida, na igreja tinha Moms In Touch International. Após voltar, conheci pessoalmente o Reverendo Isaias de Souza Maciel, através de meu esposo, Pr. Joaquim de Paula Rosa. Comecei a participar das Reuniões da OMEBE – Ordem dos Ministros Evangélicos no Brasil e Exterior. Foi feita uma reunião com algumas mulheres para revitalização do DEFE – Departamento Feminino da OMEBE. A Profa. Heloiza Helena apresentou o Ministério para todos nós. O Reverendo ficou impressionado com a missão, visão e propósitos do Ministério e deu total apoio a Profa. Heloiza Helena, que assumiu a Coordenação do DEFE. Foi então que conheci toda a abrangência do Ministério.

Em 5 de fevereiro de 2009, eu e meu esposo, Pr. Joaquim de Paula Rosa fomos convidados pela irmã Heloisa Helena para irmos em sua casa. Na ocasião seu esposo, o nosso querido Pr. Belardim Pimentel estava conosco. Depois de conversarmos, a irmã Heloiza nos convidou para irmos a uma sala reservada e lá nos disse que não tinha mais como continuar a frente do Ministério e que Deus a havia orientado a transferir a liderança do Ministério, para mim. Na época chamava Mães em Contato, hoje Mães Unidas em Oração.

Na hora eu disse NÃO, pois me sentia e ainda me sinto sem condições de fazê-lo. Argumentei com ela: “A irmã conhece tantas mulheres, tantas esposas de pastores que poderiam realizar esta missão? “- Ela apenas me disse: Deus me mandou entregá-lo a irmã!

Meu esposo, Pr. Joaquim de Paula Rosa, abriu na hora a Bíblia e começou a ler Josué 1:1-
9. Na hora que ele leu o versículo 9: ”Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares."

Naquele momento senti um grande temor, um arrepio que desceu pelo meu corpo, meu coração disparou, senti um frio nas mãos, sabia que Deus estava comigo, que não deveria temer. Ele falou ao meu coração. Ele me revestiu de um amor sem limites pelas mães do Brasil e do mundo. Sabia que estava diante de uma grande missão, grande responsabilidade, e que eu não poderia temer. Naquela saleta, lá em Campo Grande, Rio de Janeiro,RJ no cair da tarde daquele dia aceitei a tarefa grande comissão! Heloiza, eu e meu esposo, oramos! 


No dia 4 de março daquele mesmo ano assumiu o trabalho em uma reunião na OMEBE – Ordem dos Ministros Evangélicos no Brasil e no Exterior e recebemos a visita da representante de Moms In Touch Internacional, hoje Moms In Prayer International, Maria Tereza Canha. 

Durante 4 anos fui sendo observada e no dia o dia 9 de maio de 2013, veio ao Brasil a Vice-Presidente de Moms In Prayer International, Marlae Gritter e a Diretora dos Ministérios de Campo Sally Burke.. Após intenso treinamento, guindou ao cargo de “Country Coordinator” - (Coordenadora de País). Hoje Sally Burke é nossa Presidente Mundial.

Todo este caminho foi direcionado por Deus. O espaço é pequeno para narrar tantas bênçãos!

Jane Esther Monteiro de Souza de Paula Rosa


Quero deixar registrado o apoio irrestrito que tenho recebido meu esposo Pr.  Joaquim de Paula Rosa na condução do Ministério no Brasil.

2 - O ministério reúne mães que se dedicam em oração por seus filhos e escolas, mas também mulheres que adotam meninas e meninos em oração (sendo mães biológicas, ou não), entendendo que a maternidade pode se dar de forma espiritual, para formar uma nova geração comprometida com Deus?


Com certeza. A mãe espiritual é referência de carinho para seus filhos. A maternidade espiritual é fecundada aos pés da cruz e me ensina que a vida é obra da gratuidade de Deus.

Também faz parte da vocação de ser mãe espiritual a sabedoria, a renúncia e a coragem de dar de graça o que de graça recebemos. Os filhos são de Deus primeiramente, portanto, cuidar e sofrer com eles significa amar até o fim. Filho é filho!

A herança de uma mãe espiritual é uma guerra travada com o inimigo, porque é um ato de amor na formação do caráter, gerado em cada um dos filhos adotado. Não é tarefa fácil, é com oração, lágrimas, súplicas e muita dedicação. Mas vale a pena, porque o resultado é: salvação, libertação, alegria e paz.

3 - Você se considera uma mãe de oração e uma mãe discipuladora?

Sim! Deus tem colocado diante de mim uma responsabilidade de orar pelos nossos filhos e escolas do Brasil e ao mesmo tempo dar suporte espiritual.  Tive o privilégio de engravidar e sentir o meu bebê dentro de mim, mas ... Tenho meus filhos espirituais.

Quando Deus pinça, chama, toca uma mãe, sabemos que ali está uma mãe em oração. Ela já é um diamante que será burilada, trabalhada, lapidada, treinada e se tornará em um brilhante iluminando por onde quer que vá outras mães, para novamente transformá-las em novos diamantes e, assim sucessivamente. É assim que treinamos nossas mães em nossas reuniões.

A mãe passa a ter a FÉ que o Dr. Philip Harris definiu bem e que o Pr. Joaquim de Paula Rosa traduziu para o português: A FÈ que vê o invisível. A FÉ crê no incrível. A FÉ que recebe o impossível. Aleluia!

4 - Sempre em contato com muitas mães, quais são as maiores necessidades e os maiores desafios que percebe nelas hoje?


Muitas mães que estão passando por sérios problemas com seus filhos e precisam de apoio. São filhos envolvidos com: roubo, trafico de drogas, vícios diversos, gravidez indesejada, pedofilia, .... A maioria dos e-mails que recebemos é de mães que estão pedindo ajuda para seus filhos que estão mergulhados nas drogas. A maioria começou a usar drogas através dos colegas e, em sua maioria, nas escolas, Universidades e , em alguns casos no trabalho.....

O Ministério Internacional Mães Unidas em Oração é:

1. PREVENTIVO  oramos pelos filhos, netos e bisnetos que estão tendo uma vida normal, abençoada. Oramos para que Deus os "blinde" e os guarde do mal;

2. CURATIVO – oramos pelos filhos, netos e bisnetos que estão com qualquer tipo de problemas e que estejam trazendo preocupação para os pais e responsáveis. Oramos para que Deus os cure e guarde e, finalmente;

3. CIRÚRGICO - oramos pelos filhos, netos e bisnetos cujas vidas já PAREÇEM "caso perdido". Pode parecer para nós. Mas, para Deus, não! Para Deus tudo é possível se houver "Mães Unidas em Oração" em favor desses "Pródigos". Eles vão voltar, com certeza. Cremos no Poder da Oração.

Como disse nossa Fundadora e Presidente, Fern Nichols: "Não pense que a oração é uma tarefa simples. É um grande trabalho. No entanto, as respostas de Deus, muitas vezes, nos surpreendem. Isso é que torna a oração tão emocionante." 
Quando as mães se unem em oração, o poder de Deus opera de tal forma que o impossível acontece.

"Mãe cristã comprometida com Deus só deixa de orar pelo filho quando ela morre!" e "Nada, absolutamente nada resiste ao poder da oração!" (Jane Esther de Paula Rosa)

5 - Ser mãe é uma vocação?


A maternidade é o maior dom que o Pai Eterno conferiu à figura da mulher. Aquela que assume essa responsabilidade é digna de mérito Divino e de reverência humana. Ela é a fonte de onde emana o existir humano. E é este dom que confere o valor incondicional da vida humana! É a sublime celebração da transmissão da vida! Somente pela fé seremos capazes de compreender tamanho mistério. A condição existencial do “ser mãe” está imersa no Mistério Divino.

A palavra 'mãe' traz significados intensos ao nosso imaginário: as lembranças boas, as dificuldades, as brigas em família, o apoio, o abraço ou o desejo pelo carinho que nunca aconteceu. Todos esses pensamentos nos levam a perceber a vocação de uma mãe: amor incondicional e presente.

Mas podemos observar que a vocação de ser mãe é muito mais do que gerar biologicamente uma pessoa, é cuidar amorosamente de alguém que tomou para si como filho. Mais do que o fruto do seu ventre, ser mãe é tomar para si a responsabilidade pela vida, pela educação, pela criação de alguém.

A mãe dos nossos tempos enfrenta todas as adversidades e desafios que a sociedade lhe impõe, mas seu amor é fiel e ela é zelosa na missão que escolheu e com a qual foi presenteada.

É por isso que, hoje, a lembrança vai para a mulher que é mãe nas mais diversas situações: 

  • aquela que gerou o filho em seu ventre, biológica;
  • aquela que é mãe adotante, do coração – que optou pela adoção como gesto de doação e entrega;
  • aquela que é mãe espiritual, que mesmo não tendo filhos biológicos e adotivos, cuida dos filhos espirituais como se fossem, de fato, seus filhos.
Ser mãe é sim, uma vocação!

6 - Qual é a dinâmica do ministério no Brasil? 

A participação no Ministério Internacional, tanto no Brasil, quanto em quase 200 países é a mesma. Começa como "Mãe Intercessora Individual”. Tão logo ela sinta o toque do Espírito Santo para ser uma Mãe Unida em Oração, ela entra em contato com o Ministério ou faz a inscrição online e recebe todas as informações.

Nossa divisa está em Lamentações 2:19: "Derrama o teu coração como água diante do senhor; levanta a Ele as tuas mãos, pela vida de teus filhos.” (Lamentações 2.19)

nossa visão é cobrir todas as escolas do Brasil e do mundo por uma rede de proteção espiritual através das orações de suas mães, sendo um apoio positivo e forte incentivo para que os filhos, suas escolas e seus colegas sejam guiados por altos valores bíblicos, morais e éticos.

Temos como missão encorajar duas ou mais mães biológicas, adotantes, ou espirituais, comprometidas a se reunirem, regularmente, uma vez por semana e orar durante 1 hora, em favor de seus filhos, suas escolas, seus colegas, seus professores, funcionários, diretores e todas as demais pessoas que tenham alguma influência sobre eles, tanto nas escolas quanto na sociedade em geral.

Temos os seguintes propósitos:

  • Orar para que os filhos recebam a Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas e que permaneçam firmes na fé.

  • Perseverar em oração em favor dos filhos, seus colegas, professores, diretores e funcionários para que se convertam a Jesus Cristo como Salvador e permaneçam firmes na fé.

  • Orar para que as escolas, diretores, professores e funcionários, onde nossos filhos estudam possam ser guiados por altos valores morais e bíblicos.

  • Encorajar e apoiar as mães que carregam fardos pesados pelos filhos e familiares pródigos.

  • Exercer uma influência positiva e oferecer apoio espiritual às escolas.
7 - Como funcionam as reuniões, quando e onde são realizadas, e os treinamentos, etc?

As reuniões são de PGOs – Pequenos Grupos de Oração. Para formar os grupos, a mãe ora à Deus para que Ele envie outra mãe que esteja disposta a orar toda semana. Numa atitude de fé, a mãe deve convidar outras mães para orar, juntas, em favor dos filhos e de suas escolas. Os grupos são pequenos. Em média de 4 mães. Se passar de 4 o grupo deve bipartir.

Caso a mãe apresente algum obstáculo, para participar NÃO INSISTIMOS! A adesão ao Ministério é voluntária e de coração. Não é por “indicação” ou por “imposição”.

A mãe que é tocada pelo Espírito Santo para participar do Ministério Mães unidas em Oração não apresenta nenhuma desculpa, apenas pede as informações necessárias e faz sua inscrição!  Ela está assumindo perante Deus o compromisso de orar por pelos filhos cujos nomes ela colocou em sua Ficha e pela Escola adotada em oração. Por isso que nem toda mãe faz parte do Ministério. Os nomes vão para a Rede Mundial de Oração.

O compromisso de cada mãe, além de orar todos os dias será, orar 1 (uma) vez por semana, durante 1 (uma) hora, juntamente com mais duas ou três companheiras em favor de filhos, netos e bisnetos, de todas as idades. Também separa de 3 a 7 minutos para orar diariamente no “A Sós Com Deus”. Temos o nosso Calendário Nacional de Oração.

Cada grupo define o melhor dia e da melhor hora semanal do encontro para orar pelos filhos e escolas. A oração pode ser feita no templo da Igreja, nos lares, na Escola, no trabalho, enfim, será de acordo com a necessidade de cada grupo.

Todas as mães oram pelas escolas deles (desde o Maternal até a Universidade), pelos colegas de turma e de escola, pelos diretores e reitores, pelos professores, pelos funcionários das escolas e pelas demais pessoas com as quais nossos filhos, netos e bisnetos convivem no dia-a-dia usando a Bíblia para guiá-las nessa tarefa, através dos “Os Quatro Passos Para Oração: Adoração e Louvor; Confissão de pecados; Ação de Graças e Intercessão”.

Lembrando-se sempre: o que for dito no Grupo de Mães Unidas em Oração fica no Grupo. É sigilo absoluto. É compromisso com Deus!

Mães Unidas em Oração, não é um movimento, projeto ou reunião de mulheres.
Não faz parte de nenhuma instituição, organização, igreja ou denominação.
É evangélico, inter e supra denominacional.
Não está vinculado a nenhum grupo político de qualquer natureza.
É um Ministério Internacional de Oração! Uma missão! Um sacerdócio! Um compromisso com Deus da mãe de orar pelo seu filho biológico, adotante ou espiritual). Se o filho não estiver mais estudando, continua sendo filho.


Com relação aos Treinamentos de Líderes de Grupos, é só a líder entrar em contato conosco pelo e-mail: contato@maesunidasemoraçoo.org e receberá todas as informações sobre as normas e procedimentos para realizá-lo.

8 - Quais são as datas especiais do Ministério?

JANEIRO
Dia 9 – Dia Mundial de Jejum e Oração - Pelos filhos, Escolas e pelo Ministério no mundo.

MARÇO
Dia: 15 - Dia da Escola – Jornada Nacional de Oração Pelas Escolas.


ABRIL
5 Km - Caminhada de Fé - Uma caminhada Mundial

MAIO - Mês de Mães Unidas em Oração no Brasil
Segundo domingo - Celebração do Dia das Mães
Último sábado do mês - Celebração do aniversário de MÃES UNIDAS EM ORAÇÃO no Brasil - “Levanta e Clama!

AGOSTO 

Dia: 11 - Dia do Estudante – Dia Nacional de Oração Pelos Estudantes

SETEMBRO
Terceiro Domingo - Dia Mundial de Oração Pelas Escolas.

OUTUBRO 
Dia: 5 - Dia Mundial do Professor - Dia Mundial de Oração Pelos Professores

OUTUBRO 
Dia: 12 - Dia das Crianças – Dia Nacional de Oração Pelas Crianças

OUTUBRO 
Dia: 15 - Dia do Professor - Jornada Nacional de Oração Pelos Professores

NOVEMBRO 
Dia: 12 - Dia do Diretor de Escola - Dia de Oração Pelos Diretores de Escolas.

9 - Últimas informações do ministério e agradecimento?

Deus não chamou uma organização, uma instituição, uma igreja ou uma denominação. Não!  
Deus tocou no coração de uma MÃE: Fern Nichols

Fern Nichols é autora de 10 Livros. Quadro deles traduzidos para o Português, sendo que um está esgotado.



  • O Livro: Todo Filho Precisa de Uma Mãe Que Ora, escrito por Fern Nichols, fundadora de Moms In Touch, atualmente Moms In Prayer / Mães Unidas em Oração no Brasil, é um best seller. No momento, encontra-se disponível em vários sites, com preços variados. Comprar a reimpressão de 2015 com logomarca do Ministério Mães Unidas em Oração.


  • O Livreto: Mães Unidas em Oração, com as orientações para realização das reuniões em Grupos, seguindo, biblicamente, Os Quatro Passos Para Oração está traduzido em 55 idiomas, inclusive para o Braille. Este livreto é para todas as mães que já estão cadastradas no Ministério. Em breve sairá uma nova edição revista e atualizada.


  • O mais recente Livro de Fern Nichols, "Orações poderosas para mães", foi lançado pela Editora Thomas Nelson e no momento, encontra-se disponível em vários sites, com preços variados. 


Após 33 anos, o Livro: “Todo Filhos Precisa de Uma Mãe que ora”, escrito por Fern Nichols é um Best Seller e está traduzido em vários idiomas. Nele Fern mostra como envolver e apoiar as mães biológicas, adotantes e espirituais, a orarem pelos filhos e escolas, através das orações persistentes e eficazes. Estimula, em cada mãe, o anseio por uma maior intimidade com Deus, superando a paralisia espiritual, eliminando o medo e transformando a perspectiva futura, cheia do significado de uma vida de oração pautada pela “fé, coragem e perseverança”. Assim, estarão preparadas para as batalhas espirituais que terão que travar para que seus filhos sejam guiados por altos valores bíblicos, morais e éticos. Comece agora. Seu filho agradece.

O Livreto: “Mães Unidas em Oração”,  está traduzido em mais de 60 idiomas. O livreto foi criado para ajudar as mães aprendem a orar e como começar um grupo de Mães Unidas em Oração. Ele descreve como o Ministério começou; a declaração de visão; missão; propósito; diretriz; o que significa Mães Unidas em Oração; dicas sobre como iniciar seu próprio grupo (com apenas duas ou mais mães!); os Quatro Passos Para a Oração; sugestões para o momento de oração; como orar por uma pessoa não convertida; declaração de fé, e muito mais.

O desejo de cada mãe comprometida com Deus é de estar envolvida na vida dos filhos através da oração, pedindo ao Senhor para protegê-los de danos, para ajudá-los a saber a diferença entre certo e errado, e para orientá-los na tomada de boas decisões.

No início, no ano de 2009, algumas pessoas foram imprescindíveis para mim: Rev. Izaias de Souza Maciel (OMEBE); Lucia Margarida Pereira de Brito (Secretária Executiva da União Feminina Missionária Batista do Brasil); Elza Santana do Vale (Redatora da Revista Visão Missionária); Pr. Flavio Vieira Lima e Helga Kepler Fanini (Programa REENCONTRO), Stefany Hellen (Designer Gráfico); Orli Bernardes (Jornal Nosso Tempo). Também não posso me esquecer das irmãs que me sustentaram em oração: Ester Heva, Sara Couto, Norma Couto e Dulce Monteiro de Souza. Mas principalmente sou grata ao meu esposo, Pr. Joaquim de Paula Rosa, pelo apoio incondicional!

Hoje, não teria como enumerar todas as pessoas que Deus colocou no meu caminho, durante estes 8 anos para que o Ministério chegasse até aqui. 


Deus levantou mães diamantes, que se tornaram brilhantes no Ministério no Brasil. Coordenadoras Regionais, Estaduais, Municipais, Coordenadoras de Área, Coordenadoras nas Igrejas e Líderes, todas com seus PGOs- Pequenos Grupos de Oração. Mães que não medem esforços para cumprir o ide de Jesus, anunciando a todas as mães que tudo é possível ao que crê e que a causa de nenhuma de nós está perdida, pois Deus detém o controle de tudo. Aleluias!

Sou grata ao meu Deus pelo grande privilégio de serví-lo em Moms In Prayer International/Mães Unidas em Oração no Brasil, pois 
"em nada tenho a minha vida preciosa para mim mesma, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus."(Atos 20:24)

Agradeço a Assessoria de Imprensa do Ministério pela entrevista





INFORMAÇÕES E CORRESPONDÊNCIAS:

MÃES UNIDAS EM ORAÇÃO NO BRASIL 

Avenida Marechal Floriano, 143 – 4º andar – Centro

20080-005 - Rio de Janeiro, RJ

Telefones: (21) 3242-1778 / 98214-2870 / 99212-0548

Mães Unidas em Oração, filhos protegidos.
Todo filho precisa de uma mãe que ora.
Você já orou pelo seu filho hoje?

Site Internacional: momsinprayer.org
contato@maesunidasemoracao.org 

(Editora do Blog: Cláudia Regina Farias) 

IMPORTANTE: Para fazer parte do Ministério e receber todas as informações, é só fazer sua inscrição online em nosso link: http://maesunidasemoracao.org/inscricaonline.html
Não deixe nenhum espaço em branco. Caso não tenha como preencher coloque ”xxxx”.