Ministério Internacional de Mães Unidas em Oração

Ministério Internacional de Mães Unidas em Oração
O Ministério Moms In Prayer International, anteriormente conhecido como Moms In Touch / Mães em Contato, chama-se, atualmente, Mães Unidas em Oração no Brasil. Começou em 1984, em Bristish Columbia, Canadá com Fern Nichols. Atualmente o Ministério está em quase 150 países. É um ministério de oração em favor dos nossos filhos (biológicos, adotivos e espirituais), os colegas deles, suas escolas, professores e diretores para que sejam guiados por altos valores bíblicos e morais e, assim, cobrir todas as escolas do mundo com uma rede de proteção espiritual através da oração. A base do Ministério são as escolas de nossos filhos. (Educação Infantil até a Universidade)

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

A IMPORTÂNCIA DAS MÃES COMO COLUNAS ESPIRITUAIS DOS FILHOS

No livro do profeta Isaías, se encontra uma promessa linda. Ela está no capítulo 49, verso 15, que diz: “Pode uma mulher esquecer-se de seu filho de peito, de maneira que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse, eu, todavia, não me esquecerei de ti.” (Is. 49.15.) Este verso bíblico, nos aponta duas realidades: o amor de Deus e o amor de mãe. Deus é o sustentador da nossa vida, o ajudador que não nos desampara jamais; e a mãe, é a expressão desse amor aqui na terra. Com este versículo Deus mostra quão grande é o amor de mãe a ponto de compará-lo ao seu amor.

Neste versículo, o Senhor nos mostra algo que, num primeiro instante, parece até mesmo impossível de acontecer: uma mãe abandonar o seu filho. Mas caso isto ocorra, Deus jamais abandonará os seus. O que mais Deus quer dizer com esta palavra?

Pense comigo: se um amor de mãe é tão grande, imagine o de Deus? É interessante observar que Deus não usa alguma coisa da natureza para comparar ao seu amor. Ele usou o amor de mãe, um amor de forte ligação. Desta forma, podemos perceber quão grande também é o amor de uma mãe para com o seu filho. E é sobre isto que iremos falar nesta mensagem: a importância das mães na vida dos filhos.

A importância delas pode ser comprovada nos pequenos detalhes do dia a dia. Por exemplo, as mães não gostam que ninguém fale mal dos seus filhos. Eles podem ser o que for, mesmo assim elas defendem com ímpeto cada um deles. As mães também não desistem dos seus filhos incrédulos ou aqueles que estão ‘mortos’ espiritualmente. Enquanto houver fôlego, elas intercedem pelo retorno deles aos caminhos do Senhor.

A força do amor de uma mãe encontra exemplo em duas passagens bíblicas. A primeira, quando a mãe de Moisés – Joquebede – para livrar o seu filho das mãos de faraó, esconde-o por três meses e depois o coloca em um cesto. Ele foi achado pela filha de faraó que o criou como se fosse o seu filho. Depois, a filha de faraó chamou a mãe de Moisés para criá-lo; a única diferença é que a filha de faraó pagou salário a ela.

A segunda, foi a passagem na qual o Rei Salomão julga com sabedoria a causa de duas mulheres. Uma das mulheres afirmava que o filho era seu, a outra também afirmava a mesma coisa, pois um dos filhos estava morto (confira em 1Rs. 3.16-28). De forma sábia, o rei disse que iria partir o menino ao meio e daria a metade para cada uma. Porém, veja o que diz o verso 26: Então a mulher, cujo filho era vivo, falou ao rei (porque o amor materno se aguçou por seu filho), e disse: Ah, meu senhor! Dai-lhe o menino vivo, e de modo nenhum o mateis. A outra, porém, disse: Não será meu, nem teu; dividi-o. (1Rs. 3.26.) Ou seja, para não ver o seu filho morto, a verdadeira mãe preferiu vê-lo nos braços de outra mãe. Enquanto a falsa mãe, com aspereza de coração, diz ao rei para dividi-lo.

Essas passagens nos mostram a forte ligação de uma mãe para com o seu filho. Ela é capaz de dar a sua vida por ele. Isto só vem ressaltar a importância de uma mãe na vida de seu filho. As mães são autoridades espirituais sobre a vida deles. E essa autoridade é dada por Deus. É por meio dela que a mãe tem o discernimento para perceber as coisas.

Quando um filho sai de casa ou faz algo errado, muitas mães alertam: “Filho, cuidado!”, outras dizem: “Filho, não vá neste lugar, pois não sinto paz no coração a esse respeito”. É o discernimento que Deus dá às mães.

O laço entre mãe e filho é tão forte que até mesmo uma mãe não evangélica sente inquietude ante a noção de perigo. Muitas dizem: “Eu estou com um pressentimento ruim”. Na verdade, não é um pressentimento, mas um discernimento dado pelo Pai Celestial.

Os pais têm uma importância tão grande para os filhos, que podemos afirmar que eles são os primeiros pastores deles. São os pais que vão ensinar, proteger e instruir cada filho. Eles vão reger as diretrizes, serão colunas de sustentação. Por isto está escrito: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.” (Pr. 22.6)

Uma palavra aos filhos


São vários os versículos que falam a respeito dos filhos honrarem aos pais. Será que Deus ordenaria isto sem motivo? Em vão? Não, claro que não, pois no mundo espiritual a responsabilidade dos pais sobre a vida dos filhos é muito grande. É como diz um provérbio nórdico: “A bênção dos pais funda a casa dos filhos”.

Na carta de Paulo aos Efésios 6.1-3, diz: “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe que é o primeiro mandamento com promessa. Para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra.” (Ef. 6.1-3.)

Pertinente observar a mensagem contida nestes versículos. Neles nós vemos uma ordenança: Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe que é o primeiro mandamento com promessa. E duas promessas: Para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra. Creio que essa “longa vida” se refere não somente a anos de vida, mas também a vida em abundância que só Jesus pode dar.

Sensibilidade


Se o filho tiver a sensibilidade espiritual para reter, aprender, assimilar os ensinamentos e respeitar a mãe como autoridade não só hierárquica, mas, principalmente, espiritual, o filho será bem-aventurado.

Existe uma grande diferença entre aquele filho que simplesmente vê a sua mãe daquele que a enxerga. Muitos filhos não valorizam as horas que a sua mãe gasta fazendo algo por eles. É preciso não só ver, mas enxergar os feitos de cada mãe.

O amor delas é muito mais além do que pensamos, existe uma ligação muito forte. O primeiro alimento é dado pela mãe por intermédio do cordão umbilical e depois pelo leite materno. E mesmo que o filho cresça, a mãe continua sendo uma coluna espiritual. Oferecendo ao filho o alimento sólido, baseado na Palavra de Deus.

E se o filho se casar? A mãe continua sendo coluna espiritual. É claro que a prioridade passa a ser a família constituída pelo filho, mas a mãe continua sendo coluna. Como? Orando e guardando os filhos espiritualmente.

(Ana Paula Costa)
Mães Unidas em Oração, filhos protegidos.
contato@maesunidasemoracao.org


Nenhum comentário:

Postar um comentário