Ministério Internacional de Mães Unidas em Oração

Ministério Internacional de Mães Unidas em Oração
O Ministério Moms In Prayer International, anteriormente conhecido como Moms In Touch / Mães em Contato, chama-se, atualmente, Mães Unidas em Oração no Brasil. Começou em 1984, em Bristish Columbia, Canadá com Fern Nichols. Atualmente o Ministério está em quase 150 países. É um ministério de oração em favor dos nossos filhos (biológicos, adotivos e espirituais), os colegas deles, suas escolas, professores e diretores para que sejam guiados por altos valores bíblicos e morais e, assim, cobrir todas as escolas do mundo com uma rede de proteção espiritual através da oração. A base do Ministério são as escolas de nossos filhos. (Educação Infantil até a Universidade)

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

MEU FILHO ESTÁ USANDO DROGAS, O QUE FAÇO?

O consumo de drogas é um problema presente em muitos lares. Em geral, o primeiro contato com as drogas acontece no início da adolescência, e a maconha é a droga de maior consumo.

Isso se deve, em grande medida, à ansiedade, estresse e busca de novas experiências, que caracterizam a adolescência. A curiosidade, desejo de pertencimento e vontade de fugir da realidade, bem como a instabilidade familiar, também são fatores que contribuem para o uso de drogas.

Como saber se o meu filho usa drogas?


Os primeiros indícios são as mudanças de comportamento: irritabilidade; perda do sono ou períodos prolongados de sono; apetite voraz ou falta de fome; abandono dos estudos ou responsabilidades em casa; ruptura de acordos de convivência familiar; saídas de casa sem aviso; mudança ou perda de amigos (os que não consomem drogas se afastam dos que consomem, é um fenômeno de marginalização social).

Que consequências isso pode trazer?


Ao ter uma relação direta com substâncias proibidas, a pessoa acaba vivendo situações de risco, porque a percepção espaço-temporal muda, colocando-a constantemente em perigo de sofrer acidentes, overdose, perda da liberdade, extorsão, morte.

Como isso afeta a família?

O uso de drogas pode estar associado a algum transtorno de personalidade, o que provoca grande instabilidade, perturbando muitas áreas da vida da pessoa (formativa, laboral, afetiva, social) e daqueles com quem ela convive.

Além disso, todos os comportamentos associados, antes mencionados, são complexos para a família, porque são difíceis de entender e, portanto, de modificar.

Se o meu filho não assume que está usando drogas, o que devo fazer?


Ele dificilmente vai aceitar que está usando drogas. O ser humano utiliza inconscientemente a negação como mecanismo de defesa; se os pais fazem esta afirmação, devem ter cuidado para não criar um ambiente de perseguição ou julgamento, pois isso intensifica os mecanismos de defesa do filho.

É preciso procurar um profissional para o tratamento de qualquer situação relacionada ao uso, abuso ou dependência de substâncias químicas.

O que posso fazer para evitar ou corrigir esta situação?


– Informe-se amplamente sobre as drogas, seus efeitos e sobre as de maior consumo em sua comunidade.

– Reflita sobre qual será sua reação se o seu filho lhe contar que usa drogas.

– Não acuse seus filhos de um comportamento que você desconhece; pode ser o começo de um enfrentamento que não resolverá nada. Além disso, se você estiver errado(a), a relação ficará prejudicada.

– Procure um momento adequado para tratar do tema, sem interrupções.

– Não aborde o tema quando achar que seu filho está sob o efeito de alguma droga.

– Pergunte a opinião do seu filho sobre as drogas e escute com respeito o que ele lhe disser.

– Se você acha que seu filho está mentindo com relação às drogas, tente não ficar bravo(a). Procure abordar o assunto em termos de eficácia: pense em que comportamento seu pode ser mais útil para resolver o problema.

– Deixe bem claro que o que lhe preocupa é a saúde e o bem-estar do seu filho.

– Garanta que seu filho saiba que você está aí para ajudá-lo a superar qualquer dificuldade que se apresentar.

– Deixe claro que comportamentos você considera aceitáveis e que atitudes você não está disposto(a) a tolerar.

– Não recorra às ameaças; ainda que pareçam uma solução rápida a curto prazo, na prática, não dão os resultados esperados.

– Assegure que seu filho assume a responsabilidade pelos seus atos e as consequências que eles possam trazer.

– O mais importante é mostrar ao seu filho a legítima preocupação que você tem e o amor que você sente por ele.

– Finalmente, ofereça-lhe sua ajuda e peça apoio a profissionais (professores, médicos, psicólogos).

Nestas circunstâncias, como a fé em Deus pode ajudar os pais?

É prioritário que as famílias cresçam na fé, gerem ambientes saudáveis e de espiritualidade, que favoreçam o desenvolvimento dos filhos.

O problema da dependência química exige uma resposta biopsicossocial e espiritual, mas esta última pode ser determinante, porque vai ao fundo do problema.

O âmbito espiritual tem a ver com as questões mais íntimas do ser humano, como os sentimentos e a sensibilidade, e com aspectos tão profundos como a esperança e a fé, permitindo a realização como pessoas.

A vida espiritual é o que nos dá fortaleza para enfrentar os desafios da vida, aceitando o esforço e o sacrifício que forem necessários, e é isso que nos motiva a viver uma vida digna em liberdade, longe da escravidão das drogas.

(Extraído do link: http://pt.aleteia.org/2015/02/12/meu-filho-esta-usando-drogas-o-que-faco/)



Mães Unidas em Oração, filhos protegidos.

Todo filho precisa de uma mãe que ora.
Você já orou pelo seu filho hoje?
contato@maesunidasemoracao.org



2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza estaremos orando por seu filho, minha irmã. Gostaríamos de entrar em contato com a irmã. Por favor, para fazer parte do Ministério e receber todas as informações, é só fazer sua inscrição online em nosso site: www.maesunidasemoracao.org
      Assim que abrir o site, do lado direito de seu video está escrito: Inscrições Clique aqui. É só preencher os campos em branco e enviar, está bem?

      Excluir